Traduza para o seu idioma

sábado, 7 de setembro de 2019

Tu, primeiro!

Quando te perderes de ti mesmo
procura-te nas pequenas coisas.
Quando não souberes o que é feito de ti
lembra-te da criança que eras e dos sonhos que tinhas.
Quando a vida estiver difícil
acredita que tempos melhores virão a seguir.
Quando uma nuvem de tristeza se aproximar
lembra-te que não é para te assustar, mas para te lembrar
que para seres feliz, primeiro tens de te amar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 11 de agosto de 2019

Alma de vidro

Sou forte, 
mas feita de vidro.
Em alguns momentos, invencível.
noutros, perecível.

Alma de vidro
esta que tenho.
Se me deixo cair
parte-se-me o coração.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Deprimida

Tenho andado deprimida
mas não posso falar.
Porque não quero alarmar
minha família querida.

Hei-de, pois, ficar bem.
A vida é feita de percalços.
É por isso que temos
tantos altos e baixos.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

O sonho

O sonho adormeceu.
Não sei por quanto tempo estará assim.
Mas quando o sonho acordar
certamente voltará para me lembrar
de nunca mais me esquecer de sonhar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 3 de agosto de 2019

Silêncio

É no silêncio que eu me percebo melhor.
Sem aquelas vozes prontas com certezas no peito.
Por vezes sinto-me melhor no meu leito
ou sozinha por aí algures.

É no silêncio que reinicio os circuitos.
Acho importante livrar-me dos tumultos
para poder concentrar-me no mais importante
e para ler os livros que tenho na estante.

É tão importante ler. É importante, o Saber.
É importante ter momentos a sós comigo.
No presente, o melhor que me pode acontecer.
é ter a minha casa como porto de abrigo.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Eremita

Guardo para mim pouco ou quase nada.
Vou eliminando os excessos da minha vida
à medida que me torno cada vez mais eremita.
Não é que a felicidade assim, seja garantida
mas é o melhor que eu faço, acredita.
Ou não me chamasse eu, Jovita.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Lugar ermo

Lugar ermo
que se ergue adiante
que não sente o levante
da lua, nem o seu termo.

Lugar deserto
cheio de insecto
e de bicho incerto
do qual ninguém quer estar por perto.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Mar



Confessei ao mar o que sentia.
Afoito, abraçou-me em sua orla
que rapidamente se desfez em espuma.
E no meio da bruma, repetiu-se a história.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 30 de junho de 2019

Vida perdida e achada

Vida,
perdida,
suprimida.
Partidas e chegadas.
Encontros e desencontros
Vidas passadas, presentes, futuras...
Oceano de emoções, más e boas.
Mentes abertas ou fechadas.
Pessoas que sofrem caladas
ou que sorriem maravilhadas.

Vida,
achada,
recuperada,
ou manchada
pelas partidas dos outros,
ou pelas próprias mudanças.
Muitos há que perdem as esperanças.
Mas ninguém sabe quando nestas andanças
encontra o trevo de quatro folhas que procura.
Quando o encontrar, a vida, finalmente, terá cura.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 29 de junho de 2019

Vida normal - reflexão.

O que há de extraordinário
numa vida completamente normal?
Talvez o obituário dos nossos sonhos...

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 16 de junho de 2019

Sufoco

Engulo um sufoco, finjo sorrir
e faço ouvido mouco
àquilo que estou a sentir.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Cultura

Cultura, são as vivências de um povo.
Cultura, são as ancestralidades.
Cultura, são as experiências
e por vezes as vaidades.

Cultura, são as palavras eruditas.
Cultura, são também as palavras simples.
E a língua em que são ditas.

Cultura, são as cores de uma nação.
Cultura, são as flores, frutas e legumes
plantados com a própria mão.

Cultura, são os pratos cozinhados
Cultura, são os temperos preparados.
Cultura, são os costumes populares,
as festas, a doçaria, os fados.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 3 de junho de 2019

A poucos palmos do chão - de Miguel Almeida


Queridos leitores e amigos da Rainha, já terminei de ler o livro "A poucos palmos do chão" de Miguel Almeida e tal como vos prometi, vou falar-vos acerca do mesmo. 

Sim, eu sei que demorei um pouco a lê-lo, mas a falta de tempo e de disposição fez-me colocar outro ritmo na leitura, pouco comum a meu ver, mas que apesar disso não me fez desistir. E valeu a pena persistir na leitura porque esta remeteu-me para um lugar do meu imaginário por várias semanas na qual não me arrependo nem um segundo sequer.

Não sei exactamente se a história é ficcional ou não, mas enquanto a lia verifiquei tamanho humanismo nas personagens que fiquei na dúvida se aquelas pessoas existem ou existiram realmente. E mesmo que se trate apenas de ficcção, gosto de imaginar aquela aldeia e as suas gentes como se fossem reais.

E de certa forma, são. Quem é que não conhece um Sr. Alfredinho, dono de um estabelecimento qualquer, numa aldeia no interior do País? E quem é que não se recorda de ver gaiatos correrem rua abaixo a jogar à bola ou à apanhada como se via antigamente? E alguém faz ouvidos moucos ao "diz que disse" de uma aldeia, que vive dos boatos e atrás das novidades antes de existir televisão? Ninguém. Pelo menos, ninguém nascido antes dos anos 80. E os imigrantes franceses que voltavam à aldeia, para construírem as suas casas depois de anos de trabalho no estrangeiro? Parece-te familiar? A mim também. 

"A poucos palmos do chão" é em suma, a visão de uma criança sobre a aldeia em que vive e sobre as suas gentes. As suas dificuldades enquanto criança e o aprendizado advindo das diversas situações e peripécias. É fácil sentirmos alguma identificação com as personagens. De certa forma, era a vida de muitos Portugueses das aldeias do interior. Além disso, este livro também nos fala de assuntos sérios, tais como vida e morte, amizade e amor, alegrias e tristezas da vida, de tantas vidas cruzadas num único lugar.

Se ainda não conhece este livro, recomendo que o leia. Talvez o remeta para as suas próprias recordações de infância, tal como aconteceu comigo.

domingo, 2 de junho de 2019

Quando parte um amigo...


Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje recebi uma notícia desagradável. Soube que um amigo, partiu. O que se faz quando um amigo parte sem nos avisar? O que se faz quando um amigo parte quando sabemos que ainda é cedo? Nada. E por isso, apenas o silêncio prevaleceu nos momentos a seguir à triste notícia. 

António Castro era Escritor, como eu. Conheci-o em Lisboa numa apresentação de um dos seus livros. E pelas conversas que tivemos dentro e fora do facebook, mostrou-se sempre como uma pessoa exemplar. Amante das artes e letras, era uma referência para mim. Hoje partiu, para sempre...

Como ele diria, "Ao futuro!" Adeus meu amigo! Até sempre.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

E o fim de semana... começa agora!


Queridos leitores e amigos da Rainha, desejo-vos um fim-de-semana pleno, cheio de energia, mas também de serenidade. Que este, sirva para colocar as ideias no lugar! 

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Desafio superado

Nem sempre precisamos de plateia. Momentos há em que o valor daquilo que fazemos não está nas selfies que tiramos. Nem toda a gente precisa de saber o que nos acontece. E dizem por aí que as melhores coisas da vida ocorrem quando estamos offline. É verdade. Há coisas que devemos guardar para nós, porque são demasiado especiais. E são essas coisas que nos fazem sorrir do nada, quando estamos a fazer outra coisa qualquer. Hoje foi um dia assim. Sinto-me serena e ainda mais confiante no caminho que escolhi. Estou disposta a deixar os receios de lado e fazer com que esta fase da minha vida tenha um significado positivo. Desafio superado. Venha o próximo! :)

terça-feira, 28 de maio de 2019

Às vezes...

Às vezes a vida dá voltas inteiras
para parar no mesmo lugar.
Outras vezes as voltas são meias
e a vida muda de forma, e nós o pensar.

Às vezes a vida que tínhamos
já não volta a ser o que era.
Os ventos levam-nos para lá do mar.
E o tempo já não espera
que possamos voltar...

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

A caneta foi para o lixo

A caneta foi para o lixo,
pois impediu-me de escrever.
E se fosse só por isso...
Não precisaria de o dizer.

A caneta foi para o lixo,
pois ficou muda de tinta.
E se fosse só por isso
Não precisaria de outra, limpa.

A caneta que foi para o lixo
já a tinha há muito tempo.
E se fosse só por isso...
Não valeria o sofrimento.

A caneta foi para o lixo.
Mexeu com o meu sistema nervoso.
E se fosse só por isso...
Não precisaria de algo novo.

A caneta foi para o lixo,
pois já tinha os dias contados.
Hoje, já não falo mais sobre isto!
Os motivos eram variados.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Desistir

Já pensei em desistir.
Baixar os braços,
deixar-me dormir,
esquecer os embaraços
escapulir-me em pedaços
desaparecer, fugir...

Mas depois pensei que talvez,
seja apenas o meu medo a falar.
Pois, talvez o mundo
não ande realmente a conspirar.

Já pensei em desistir.
Baixar os braços,
deixar-me dormir.
Mas enquanto a escrita me alimentar,
o meu sonho continuará a existir.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 21 de maio de 2019

A oportunidade

Ainda há espaço para sonhar
mesmo que o tempo urja.
A vontade de sair do lugar
faz com que a oportunidade surja.

E é extasiada que percebo
que a arte ainda faz parte de mim.
E às palavras arranco o que sou
e o que me faz ser assim.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 19 de maio de 2019

3ª Edição do Poetry Slam Leiria 2019


Queridos leitores e amigos da Rainha, mais uma vez tive oportunidade de participar no Poetry Slam em Leiria. A poesia foi a Rainha do tempo e fez as honras da casa no Atlas Hostel como de costume. Se valeu a pena? Vale sempre a pena!

sábado, 18 de maio de 2019

Ousa voar!

Observa à tua volta.
O mundo está a mudar.
As árvores renovaram as suas folhas
e os passarinhos voltaram a cantar.
E tal como tu, também ousam voar.

Sonha, acredita e vai!
O mundo está a mudar,
mas não tenhas medo de cair.
Pois, vais ter sempre alguém
com quem contar!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Uma formiga no prato

Era uma vez uma formiga que estava no meu prato. Estava debaixo do arroz a descansar. Quando a sacudi, alguém a decalcou mas ela não morreu. Continuou, pois, a mexer o rabo ainda viva, pedindo socorro em formiguês. Tive pena dela e não a comi. Nem sequer tive coragem de a matar. Deixei-a ficar em paz e continuei a comer as pataniscas de bacalhau como se ela não estivesse ainda em cima da mesa. Entretanto, chega a empregada que pergunta se estava tudo bem com o nosso almoço, ao que eu respondi que estava tudo óptimo, inclusive a formiga. Porém, admirada com o insólito da minha resposta, voltou-se e questionou: - " A formiga? Qual formiga?", ao que eu respondi solenemente: - "A formiga que estava no meu prato." Foi então que a empregada, pedindo-me mil desculpas, levou a formiga consigo, na exacta placa onde estavam gravadas as palavras:" Reservado". A mesma que foi utilizada para reservar a mesa para o nosso almoço de turma. E foi assim, que disse adeus à formiga.

P.S. ( Esta história é verdadeira) :)

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Substância viva

Quando olho para trás
lembro-me dos poemas
outrora escritos por mim.

Dos poemas de amor,
àqueles que retratam a natureza,
escrevi-os com o coração
disso podem ter a certeza.

Mesmo que alguns
já não façam sentido,
contêm verdades, substância viva
do que aconteceu comigo.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Domingo há poesia!

Queridos leitores e amigos da Rainha, no próximo Domingo vai haver poesia outra vez no Atlas Hostel em Leiria e, provavelmente, lá estarei como é costume. Se gostas de poesia, aparece porque o Poetry Slam é para todos os amantes desta Arte. Vemo-nos lá? 

terça-feira, 14 de maio de 2019

Verbo " Narcisar"

Eu Narciso.
Tu Narcisas,
Ele Narcisa...
Sim, toda a gente precisa!

De auto-estima "em popa"
velejemos nós.
Desde os mais novos, aos avós.

De quando em vez
é bom olhar para o espelho.
Pois, é bom enxergar a realidade
mesmo antes de chegar a velho.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 13 de maio de 2019

É amor, o que sinto pelas palavras!

Há palavras que gritam dentro de mim
e mesmo em silêncio consigo gritá-las.
A vontade que tenho de escrever é tanta
que se nota na minha própria expressão.
É amor, o que sinto pelas palavras!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 12 de maio de 2019

O Sol voltou


Queridos leitores e amigos da Rainha, o sol e o calor voltaram em força e como não podia deixar de ser, coloquei os casacos de parte e disse-lhes adeus até à próxima estação. Assim o espero, já que não me apetece nada ter que aturar o mau feitio do tempo, quando este anda revoltado com o mundo... Continuando, fui visitar a Feira de Maio outra vez e comi uma deliciosa fartura com açúcar e canela, quebrando novamente a minha dieta...E vocês? Como aproveitaram o vosso Domingo? 

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Voltei para o meu casulo

Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje queria reflectir sobre um assunto que já me anda a martelar o juízo há alguns dias. À medida que avanço para outras etapas da minha vida, deixo para trás outras com as quais já não me identifico. No entanto, tenho a impressão que as pessoas à minha volta ainda me vêem da mesma maneira. E isto é extremamente frustrante porque estou a anos luz daquilo que um dia fui, não conseguindo traduzir por palavras todas as alterações que tenho feito ultimamente. Aliás, nem sequer tenho a pretensão de me explicar. Nem toda a gente precisa de saber as nossas glórias ou os nossos fracassos. Sim, eu sei que era daquelas pessoas que gostava de publicar em tempo real aquilo que andava a fazer. Lamento, mas já não sou assim, nem quero ser mais assim. Tenho outro nível de percepção da realidade agora e era tão bom que as pessoas que eu conheço, respeitassem isso. 

quarta-feira, 1 de maio de 2019

terça-feira, 30 de abril de 2019

Sobre o futuro



Hoje foi dia de reflectir sobre o futuro, já que é para lá que caminhamos. Depois de tantas incertezas, finalmente cheguei a uma conclusão convincente. Não adianta olhar para trás e pensar que ainda lá estou. Isso não é verdade. O passado, quer tenha sido bom ou menos bom, já está lá atrás. Agora é o momento de colocar os pés ao caminho e olhar de frente para o futuro. Mas, para que o futuro seja uma realidade é importante pensar naquilo que quero hoje. 

E se ontem eu queria estar em todo o lado, hoje quero apenas estar no meu cantinho. E se ontem eu queria ser visível a toda a hora, hoje prefiro o silêncio à ribalta, a única coisa que ainda quero é preservar a minha imagem literária. Tudo o que resta, já não faz sentido.E é nesta frequência que vibro diariamente daqui para a frente. Sou grata àquilo que fui, mas sigo caminho para aquilo que quero ser agora e no futuro.

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Estado de alma

Não há certezas definitivas
para o meu estado de alma.
Oscilo entre a idealização e a realidade.

Com calma, aceito o que me acontece
muito embora insegura
pelas teias que a minha mente tece.

Não há certezas definitivas
para o meu estado de alma.
Mas deixo-me levar pela esperança activa.

Essa esperança que dá voz aos meus sonhos
mesmo que o meu mundo desmorone por dentro.
E luto contra o dúbio sentimento que se me apresenta.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 28 de abril de 2019

Já foi...

Não foi por falta de jeito.
Sei que não.
Não foi por má vontade.
Isso também não.
Não foi pelo momento em si.
Sei que não.
Não foi porque me perdi.
Mas também não sei pelo que foi.
E se foi, já foi.
Passou, já passou.
E agora, quem sou?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Um tinto bem bonito!

Hoje tenho a companhia de uma garrafa.
Um tinto bem bonito à minha beira.
Vou aprecia-lo como deve ser:
devagar, devagarinho,
até ser segunda-feira.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias

sábado, 27 de abril de 2019

Bloqueio

Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje deparei-me com um bloqueio quando estava a escrever. A mente tinha a ideia, mas o papel continuou em branco. Já vos aconteceu? A mim acontece-me de quando em vez. Talvez, porque em vez de pensar na ideia principal, estou a pensar em outra coisa. Ou, talvez, porque o assunto em questão não tenha assim tanto interesse para mim. Será que estou a esforçar-me o suficiente, ou será que apenas este não é o meu caminho? A minha mente às vezes parece uma salada russa!... Bem, russa ou não, tenho de coloca-la a funcionar se quiser mesmo seguir por este caminho. E será que quero? Não será apenas medo? Mas medo de quê? O desconhecido assusta sempre, mas depois de dar uns passos em frente vemos tudo mais claro. Espero que, neste caso, também seja assim.

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Dois livros



Quem me conhece, já sabe que amo livros. E hoje tive uma agradável surpresa na caixa do correio: dois livros do meu amigo e Escritor, Miguel Almeida: "Pacto" e "A poucos palmos do chão".

Depois de os ler, conto-vos o que achei. 


quinta-feira, 25 de abril de 2019

És livre?

És livre? Tens a certeza?
Não haverá avareza nesse pensamento?
Podes mesmo dizer o que pensas?
Não tens medo de represálias?
Ou preferes as botas, às sandálias?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 20 de abril de 2019

Hoje...


Hoje, foi um dia leve. Fui tomar café em boa companhia, apanhei sol numa esplanada, dei a volta à Cidade e aproveitei para fazer as compras da semana. Nem todos os dias são confusos, também tenho dias bons. Hoje, foi um deles. Como foi o teu dia?

quinta-feira, 18 de abril de 2019

É só uma fase...

Queridos leitores e amigos da Rainha, ando numa fase mais reservada na qual não me apetece falar com ninguém excepto em alguns momentos mais específicos quando tem mesmo de ser. Não sei explicar, mas preciso de entrar novamente no meu casulo e cogitar uma maneira mais interessante de voar.

Sim! A vontade de voar não desapareceu, apenas adormeceu momentaneamente. Não sei se isso se deve às mudanças dos últimos tempos, mas é natural que me sinta um pouco mais reservada por não saber muito bem se devo ou não confiar nas pessoas à minha volta.

Noutros tempos, ainda devem lembrar-se que eu era bastante activa nas redes-sociais e aqui no blogue, no entanto as decepções abrandaram os meus desejos e fizeram-me repensar tudo outra vez. Só a escrita tem permanecido intocável. Não sou ninguém sem ela. Preciso da escrita para viver, tal como do oxigénio para respirar.

Hoje escrevo ao som da RFM enquanto ouço a emissão "Oceano Pacífico". É uma forma de relaxar e pensar na vida, tão válida como outra qualquer. Gosto de ouvir música quando escrevo. Ajuda-me a abstrair do mundo exterior e concentrar-me no meu mundo interior, de forma a exteriorizar isso em palavras.

E pensando bem, isto é só uma fase. Tudo passa, seja bom ou seja mau. Que eu em breve consiga voar como uma linda borboleta que saiu do seu casulo para conquistar o mundo com alegria e amor no coração!

Sou composta pelas letras

Sou composta por palavras,
sangue, células, vida, memórias.
Sou composta pelas letras
que percorrem o todo o meu corpo.
Sabias que elas contam histórias?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Notre Dame

Mais de oitocentos anos de história
foram devastados pelas chamas.
Centenas de obras de arte destruídas
em apenas poucos segundos.

As labaredas fizeram as honras
e lamberam o edifício
que muitos ergueram
com imenso sacrifício.

O pináculo colapsou
e toda a gente lamentou
tudo aquilo que se perdeu.

Mas a esperança ainda reina
na Catedral de Notre Dame.
Braços incansáveis recontruí-la-ão
e a torre mais alta tocará o céu.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Greve dos combustíveis

As bombas estão secas.
Já não há combustível.
Vocês já pensaram
como isto é terrível?!
Faz-me lembrar
como a vida é perecível.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 14 de abril de 2019

O trono

Todos querem sentar-se no trono.
Todos almejam esse lugar.
Mas quem se irá realmente sentar?
E quantos obstáculos terá de driblar?

A guerra dos tronos já existe
desde tempos imemoriais.
E esta dança já persiste
para lá dos tempos dos Reis
com batalhas infernais.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Acordei com o pé direito



Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje acordei "com o pé direito": tranquila, feliz e com vontade de abraçar o mundo. Que seja assim o resto da semana!

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Por enquanto, aguardo...

Aguardo pacientemente a minha vez
para expressar tudo aquilo que sinto.
Mas enquanto a banalização existir
guardo as palavras em outro recinto.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 6 de abril de 2019

O que importa, são as pessoas.

Na vida ou na hora da morte
o que importa são as pessoas.
Há sempre quem se importe.
Ainda existem pessoas boas.

Nas catástrofes naturais
e até naquelas que o homem provoca,
o que importa, são as pessoas.
Pois o amor sempre volta.

Nas enfermidades ou na velhice
há sempre quem olhe por nós.
O que importa, são as pessoas.
Nunca estaremos realmente sós.

Na vida ou na hora da morte,
o que importa, são as pessoas.
Os sorrisos, os abraços,
a família, os amigos, os laços.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

My Favorite Things



Queridos leitores e amigos da Rainha, neste sábado de chuva lembrei-me desta música. Acordei com ela na cabeça e não podia deixar de a partilhar. Se não conheces, ficas a conhecer. Se já conheces, acredito que a nostalgia tomará conta de ti. 

terça-feira, 2 de abril de 2019

A vida requer "Retomação"

Esta noite tive um sonho um pouco estranho. Sonhei que segurava um microfone na mão e que cantava uma estranha melodia em forma de refrão que dizia o seguinte: " A vida requer retomação, a vida requer retomação, a vida requer retomação..." e entretanto acordei a meio da noite estremunhada. 

Antes que me esquecesse da frase que ecoava na minha cabeça, levantei-me, procurei o meu caderno e escrevi-a. No entanto, fiquei intrigada e tive até uma certa dificuldade em retomar o sono, porque de uma certa forma a frase tem sentido. Será um sinal do meu subconsciente para retomar um sonho antigo? Talvez. 

A palavra "retomação", pelo que entendo por ela, deriva de duas palavras: Retoma e acção. Logo, se a vida requer retomação, significa que preciso entrar em acção e recuperar o tempo perdido. Ou seja, preciso de retomar coisas importantes que deixei em stand-by na minha vida. 

Então, já que " a vida requer retomação", vamos lá reavivar os sonhos mais recônditos! Parece-me que está na hora. :)

Oito lindas Primaveras



Queridos leitores e amigos, a minha Rainha faz hoje 8 anos. Sim, é verdade, o tempo passou tão depressa! Durante todos estes anos cresci, aprendi, chorei, ri, sonhei, escrevi... e jamais me arrependerei daquilo que construí.

Quero agradecer a todos sem excepção por todo o carinho e atenção pelo meu trabalho literário. Que venham mais oito! :)

segunda-feira, 1 de abril de 2019

O rio

O rio corre devagar
pachorrento, linear
pela encosta abaixo.

Vai devagarinho
num ritmo certinho.
Nele, não existe embaraço.

Tem objectivos bem definidos.
Sabe bem para onde vai.
Nunca se distrai.

Contorna os obstáculos
e diverte-se no caminho
mesmo quando se encontra sozinho.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 31 de março de 2019

Feira do Livro de Lisboa



Queridos leitores e amigos da Rainha, vêm aí mais uma edição da Feira do Livro de Lisboa. 

Esta é, sem dúvida, a melhor ocasião para conhecer os nossos Autores favoritos e para saber das novidades. E pelo que sei, a feira este ano realiza-se entre 29 de Maio e 16 de Junho de 2019.

Vais estar presente?


(Sei que a foto em questão não está certa, por ser do ano passado. Obrigada Titica Deia, pelo teu comentário. Já rectifiquei a data).

domingo, 24 de março de 2019

Poetry Slam Leiria

Queridos leitores e amigos da Rainha, neste fim-de-semana ocorreu mais uma edição do Poetry Slam na Cidade de Leiria, na qual eu tive oportunidade de participar.

O Poetry Slam trata-se de um concurso informal de declamação de poesia, onde os participantes se expressam através de poemas da sua autoria.

Deixo-vos com algumas imagens desta iniciativa, que começou no Sábado com um workshop de preparação, terminando hoje com a apresentação pública dos poemas. 















A minha praia

No horizonte vejo a praia.
de areia branca, muito fina.
A água salgada que a engole
faz-me sentir pequenina.

A minha praia tem gaivotas.
Voam livres, voam felizes.
Fazem-me lembrar uma menina
de cabelo aos caracóis.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 23 de março de 2019

Somos Humanos

Para seres aceite
tens de aceitar
todos os demais
sem os criticar.

Somos diferentes,
mas somos iguais.
Somos únicos.
Somos especiais.

Somos gente
em transformação.
Todos temos coração.
Somos Humanos.
Somos reais.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Avancei, escrevi, recitei e consegui!

Nada.
Absolutamente nada!
Não sinto nada.
Mas ainda assim escrevo,
talvez um pouco amuada...

Sinto que fui obrigada.
Penso que é por isso
que não me sai nada.

Rabisquei aqui e ali,
amarfanhei uma folha...
Nada, outra vez.

Foi então que decidi.
Tenho de sair da bolha
que eu mesma formei.

E assim acreditei.
E mesmo sem nada na mente
avancei, escrevi, recitei e consegui!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.


quarta-feira, 20 de março de 2019

Cultura é vida

O que é, Cultura? Fizeram-me esta pergunta hoje e após reflectir sobre o assunto penso que não é algo fácil de definir em apenas uma frase.

Entendo que Cultura é tudo aquilo que envolve o ser Humano desde que ele nasce até à sua partida. Somos inseridos num tipo de sociedade, com determinados valores e influências e ao longo da vida vamos alargando o nosso conhecimento acerca do funcionamento do mundo.

Podemos ver a cultura bem presente no País onde nascemos, nas pessoas que nos educaram, nas interacções com outras pessoas. É certo que também vamos moldando a forma de ver o mundo através das músicas que ouvimos, dos filmes que vemos, dos desportos que fazemos, dos eventos que assistimos ou participamos. O seu significado é tão vasto que não é possível falar numa coisa só e assumir que apenas isso seja considerado Cultura. A Cultura é mais! Muito mais! 

E se pensarmos bem sobre o assunto, será que podemos afirmar que existem pessoas com mais cultura do que outras? Bem, essa afirmação é tão vasta quanto a definição de Cultura. É verdade que todos já nascem num contexto cultural, mas não é isso que faz com que uma pessoa seja culta. A pessoa pode até ter um determinado estatuto derivado ao berço e ainda assim não perceber nada sobre cultura, enquanto que uma pessoa nascida no meio rural, que pode até nem saber ler, nem escrever, talvez seja mais rica em termos culturais. 

Citando Agustina Bessa-Luís: "A Cultura é o que identifica um povo...". Será que é apenas isso? É óbvio que não é apenas isso, mas se quisermos simplificar, aqui está uma boa definição.

Em suma, Cultura é vida. São as vivências que temos ao longo da vida. É o nosso berço, as pessoas que conhecemos, os lugares que percorremos.

terça-feira, 19 de março de 2019

Acordo Ortográfico

Se estou de acordo, com o acordo?
Como ficou acordado, não.
Mas mesmo em desacordo.
Que poderei fazer então?

Não pode haver concordância
Se não houver discussão.
É preciso saber do que se fala
para chegar a uma conclusão.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 5 de março de 2019

Guerra dos Tronos



Queridos leitores e amigos da Rainha, desde que me mudei para Leiria, que tenho tido mais interesse em séries televisivas. Por norma, não vejo televisão, mas quando fui desafiada a ver as séries da Netflix fiquei rendida às histórias. Gosto de literatura, mas também gosto de cinema, portanto é normalíssimo que tenha ficado assim. 

Ultimamente tenho andado a ver a "Guerra dos Tronos" na HBO e penso que até agora, de todas as séries que vi, esta é sem dúvida uma das melhores. Trata-se de uma história de ficção do Autor George Martin, que nos remete para outra época, onde existem Reis, Rainhas e por consequência, pretensões ao Trono. Claro que a Rainha das Insónias não podia ficar indiferente a esta história.

A última temporada sai dia 15 de Abril deste ano e estou ansiosa para ver o grande final. 
E tu? O que achas da "Guerra dos Tronos"?


domingo, 3 de março de 2019

Conan Osiris - Acróstico

Cantor
Ou
Não?
A questão não é essa
Nunca haverá unanimidade.

Osiris é controverso.
Simples artista convexo
Irei analisar melhor
Rirei mais ainda, mas...

(colocando os pontos nos is...)

Isto é arte.
Sabê-lo também faz parte.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 1 de março de 2019

A árvore



A árvore não tem folhas.
Está despida.
A árvore não tem pássaros pousados nos ramos.
Está despida.
A árvore não consegue falar.
Está despida.
Mas a árvore ainda resiste ao vento e à chuva.
Está despida. Mas ainda está de pé.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Estrada da Noite - de Kristin Hannah



Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje quero falar sobre um livro que acabei de ler há poucos dias. Na obra " Estrada da Noite" existem duas famílias. Uma é abastada, outra nem tanto. Zach e Mia fazem parte da primeira. Lexi vive com uma tia que mal conhece nas imediações. O fosso socio-económico entre eles é enorme, no entanto, têm a mesma escola, uma amizade profunda e... amor. Um amor que eles julgavam inquebrável, antes do acidente que mudou tudo. 

Quando comecei a ler, não tinha noção da profundidade que este livro tem. Deixei-me levar pela história como se fizesse parte da mesma. Amor, amizade, esperança, dor, incompreensão, revolta e novamente esperança e aceitação da realidade. Senti as emoções de cada personagem devorando avidamente cada página. 

Se recomendo? Obviamente que sim. 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Há mil anos que não te via - De Alexandra Solnado



Queridos leitores e amigos da Rainha, esta semana decidi começar a ler um livro que tenho na minha estante, mas que por várias razões ainda não tinha dado a devida importância. Aproveitei algum tempo de ócio para o fazer e em boa hora o fiz.

"Há mil anos que não te via" é um livro particular que nos remete para a sensação de fazermos parte da própria história. É uma história de amor que retrata o presente, mas também o passado das personagens. Em suma, é uma história sobre vidas passadas.

Será que existem mesmo anjos a olhar por nós? Será que estamos aqui por motivos maiores do que aqueles que conhecemos? Vale a pena conferir através deste livro. E mesmo que não acredite nestas coisas, tenho a certeza que não vai ficar indiferente ao sensível Pitito, nem aos bloqueios emocionais de Inês, nem ao amor que os une.

Alexandra Solnado é a Autora Portuguesa de maior sucesso no campo da espiritualidade. Este, é o seu primeiro Romance. Recomendo vivamente!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Alma Portuguesa

A minha alma é Portuguesa, com certeza.
Pois quando o Fado escuto, me emociono.
E se eventualmente o ouvir durante a noite,
consigo escrever e até perder o sono.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Abre a Janela

Ao acordares abre a janela,
respira fundo e sorri.
Lembra-te que há sempre alguém
a olhar por ti.

Ao acordares abre a janela.
Amplia a tua consciência.
Percebe a importância das coisas
através da sua essência.

Ao acordares abre a janela.
Sintoniza-te no amor e na alegria.
Se for possível pinta uma aguarela
e sente a harmonia desse dia.

Mas, se não conseguires abrir a janela
podes fazê-lo em pensamento.
Envia paz para toda a Terra.
Fecha os olhos e sente o momento.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

A esperança tem asas

Dentro de cada um de nós
existem asas guardadas
sonhos e esperanças aladas.
Somos mais do que mero pó.

Apenas o não sabemos.
Ou sabemos e fingimos não saber.
Preferimos não crer, para não doer.
Visto que nos ataram as asas....

Mas elas estão lá, as asas.
Estão atreladas à esperança.
Vivem condensadas dentro de nós
Felizmente não estamos sós.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.


Cefaleias

Quem quer cefaleias quentinhas?
Quem quer ter a cabeça a latejar?
Quem as quiser, que as venha buscar.

Ou então que arranje outras
já que estas são minhas
e não me querem largar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 26 de janeiro de 2019

Que é feito dos Poetas?

Que é feito dos Poetas
que outrora conheci?
Será que de mim se esqueceram?
Será que pensam que morri?

Que é feito dos Poetas
que me acompanhavam nas letras?
Será que continuam a escrever?
Acaso ainda têm força nas canetas?

Que é feito dos Poetas
que alegravam o meu coração?
Será que ainda vão às tertúlias?
Ou será que já não?

E que é feito de ti?
Perguntam-me os Poetas.
A eles só tenho a dizer
que ainda estou aqui.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Pensamento raso

Escrevo palavras ao acaso
para depois as apagar.
Só para me poder libertar
de qualquer pensamento raso.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 20 de janeiro de 2019

"Tens uma letra bonita"

Queridos leitores e amigos da Rainha, um dia destes disseram que eu tenho uma letra bonita. Sorri. Lembrei-me de todas as vezes que passei a limpo os cadernos da escola. De todas as vezes que escrevi e reescrevi os mais diversos textos. Lembrei-me de todas as noites que passei em claro a escrever. Lembrei-me também de todos os livros que li e reli para ter um vocabulário melhor.

Dizem que "o hábito faz o frade", e a prática constante do exercício da escrita faz o escritor. É por isso que tenho uma letra bonita. 

A encruzilhada

Numa encruzilhada estava eu.
Em silêncio perscrutei os caminhos.
Intermináveis, ambos os destinos.
Fechei os olhos para melhor decidir.
Paralisei sem saber para onde ir.

A minha bússola permanecia imóvel.
E como ela, fiquei queda e muda.
À espera que um sinal do universo
me despertasse o pensamento.
Mas ainda não era o momento.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 12 de janeiro de 2019

As chamas




As chamas devoram lentamente
o pedaço de madeira.
E eu fico quase que hipnotizada
observando a lareira.

Pensamentos vários
percorrem a minha mente.
Enquanto estou em silêncio
meditando veementemente.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Pitchula - Acróstico


Parece que foi ontem que a conheci.
Isso já foi há algum tempo!
Tem personalidade própria.
Come e bebe com satisfação.
Hoje está aqui comigo.
Uma vez, cravou-me o dente...
Ladra quando sente que vem lá alguém.
Aquece a minha cama como ninguém.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

A força que há em nós

No limiar das nossas fraquezas
descobrimos a força que há em nós.
Antes, nem sabíamos que existia.
Agora sabemos que não estamos sós.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Saber calar é ter nobreza

Dizem por aqui coisas...
Mas que interessam essas coisas?
Acaso essas coisas são tuas?
Para quê aflorar pelas ruas
contando coisas que nem sabes
se são verdades?

Sabes que as verdades dos outros
não são as tuas vaidades.
E aquilo que tu dizes saber
não é mais do que isso, vaidade.
Pobres tolos!

Dizem por ali coisas...
Mas que interessam essas coisas?
Acaso conheces a questão?
Mas por que é que então,
sais por aí toda aprumada
falando porque sim e porque não?

Sabes que as verdades dos outros
não são as tuas vaidades.
E aquilo que tu dizes saber
não é mais do que isso, vaidade.
Pobres tolos!

Dizem por aqui e por ali
coisas do arco da velha.
Mas nem sequer sabes
a que arco se refere.
Ou a que velha...

Deixa lá a velha
e o arco da mesma.
E cala-te quando não tiveres certeza!
Saber calar é ter nobreza.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Moeda de troca

Pertences a um passado que se extinguiu
a um mundo que deixou de florir
que ficou para trás com o que sobrava de ti.

Somos meras moedas de troca,
sem vida...

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.