Traduza para o seu idioma

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Novidade da Rainha - Poemas personalizados!

Caros leitores. Hoje decidi fazer uma experiência aqui no blogue.

Visto que a versatilidade da minha escrita é evidente, tenho o prazer de apresentar a minha mais recente ideia.

Muitas vezes tem acontecido receber pedidos de amigos e familiares para escrever poemas específicos para ocasiões especiais. Poemas sobre casamentos, nascimentos, Batizados, divórcios  e também alguns para o dia da mãe, dia do pai, dia da criança, dia dos namorados, e também alguns sobre o Natal, Ano Novo etc.

Assim sendo, pensei: Se eu gosto de escrever, tenho capacidade de escrever sobre qualquer coisa e tanta gente aprecia o que eu escrevo porque não criar uma forma de levar esta brincadeira mais a sério?

Assim nasceu a ideia. Faço poemas totalmente personalizados para quem desejar, sobre os seguintes temas: casamentos, nascimentos, Batizados, divórcios  e também alguns para o dia da mãe, dia do pai, dia da criança, dia dos namorados, e também alguns sobre o Natal, Ano Novo, ou sobre outro tema qualquer que lhe interesse pessoalmente, por um valor simbólico de 5€.

Agora pode estar a perguntar-se: Mas porque tenho eu de pagar por um poema ?

Porque escrever dá trabalho. Muitas vezes o trabalho da escrita é desvalorizado por não ser um trabalho muito visível durante o processo. No entanto, é preciso ter noção que, para que as palavras sejam coerentes é necessário investir tempo e esforço mental. Assim, tal como qualquer outro tipo de trabalho, um escritor também deve ser recompensado.

Gostaria de pedir um poema? É muito simples. Digite o tema que deseja no campo de pesquisa apropriado para o efeito que se encontra no canto superior direito do blogue. Depois é só clicar em By Now, ou seja "comprar agora" em português. Depois será reencaminhado para outra página para proceder ao pagamento via Paypal. Quando concluir o pagamento, serei avisada sobre o mesmo, e farei o seu poema. Depois entro em contacto consigo via e-mail enviando o poema.

E que tal? Gostou da ideia? ;)

Então, aprovei-te já!!!

Entre fantasias e sonhos.

Esta manhã dei por mim
a flutuar numa nuvem
tão fofa e tão branquinha
tão engraçada e era minha.

A minha nuvem falava
e cantava e sonhava
e a mim me encantava.

E a viagem continuava
pelo imenso azul do céu
daquele céu imenso
que mantinha um véu,

de estrelas e pássaros
esvoaçando lado a lado.
O sol sorriu dizendo
que era este o meu fado.

O fado de sonhar,
de querer mais,
de saber aproveitar,
de acreditar sempre
que posso ser feliz,
nem que seja a sonhar.

Pois aquilo que sempre quis
corre-me nas veias
é sonhar, escrever e ser feliz.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Hoje olhei para ti, mãe.

Hoje olhei para ti, mãe.
Queria prolongar o momento.
Queria abraçar-te outra vez
e esquecer-me do resto.

Lembras-te?
Quando eras tu
que me seguravas no colo,
depois pela mão,
depois davas conselhos,
depois ralhavas, porque eu não queria saber.

Tenho saudades mãe.
Apesar de estares aqui.
Apesar de poder ainda olhar para ti.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Já não sou aquela criança.

Já não sou aquela criança
que vocês viram brincar
aquela que sorria por nada,
e que por nada estava a chorar.

Já não sou aquela criança
que fazia travessuras
aquela que para os avós
era um mar de ternuras.

Já não sou aquela criança
por todos rodeada.
Hoje sou uma mulher
que anda por outra estrada.

Já não sou aquela criança
mas ainda tenho sonhos
e ainda tenho a esperança
que me ficou na lembrança.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A esfera da vida

A esfera da vida
leva-me a perguntar:
Onde estão todos?
Onde está o meu lar?

Procuro e encontro
pessoas distantes,
que são para mim
quais diamantes.

A esfera da vida tudo mudou
e o tempo por nós passou.
Mas agradeço por vos encontrar
a vocês vou sempre amar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O tempo passa...

O tempo passa
e eu nem percebo
estou a ficar velha
de tanto desassossego.

Um dia perco-me
no outro me encontro
e um dia corro
para outro ponto.

Felicidade e nostalgia
é esta a minha insígnia
Pois o que eu mais queria
era apenas ser digna

de amizade e de amor
de amigos e de família
de lugares e de luas
de saberes e de brumas
de sorrisos e abraços
de sonhos e de laços

Aqueles eternos...
Sem embaraços.

De tanto ficar longe
acabei por ficar perto
por vezes a vida
também é este deserto.

Este sentimento forte
mas tão distante
que o tempo leva
para ali, mais adiante.

E o tempo passa...
a uma velocidade feroz
que me faz sofrer.
É tão atroz!

Mas ainda há tempo
tenho de o recuperar
quero ainda me alegrar
com a chuva e com o vento
com este estranho sentimento.

E o tempo sempre passa...
até alguém o agarrar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

A Rainha está feliz. - 18.000 visitas. - muito obrigada!



Boa noite queridos leitores e amigos da Rainha. Quero agradecer mais uma vez pelo carinho demonstrado pelas vossas visitas e comentários. Hoje a rainha já conta com 18.000 visitas. A todos, muito obrigada.

Cumprimentos,
Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Reflexão do dia!

Estou pensativa. No meu entender o mundo desdobra-se de uma tal maneira que não o entendo na perfeição. Queria compreender melhor o sentido da vida., mas não me é possível tirar conclusões definitivas a esse respeito. Encontro-me apenas num momento de reflexão sobre ela. Sobre a vida que tenho e sobre aquela que não tenho mas que gostaria de ter. Não dei pelo tempo passar. Afinal, quase tudo nesta vida é relativo. Até o tempo. Não quero saber se concordam comigo ou não. Apenas quero deitar cá para fora tudo aquilo que me aflige. Tudo o que está intrínseco na minha mente. Estou numa confusão de ideias, repleta de personagens absurdos e inquietantes neste manancial de almas perdidas. E porque se perdem elas? Sei lá! Acho que isso também não é importante. Estou rodeada de monstros esquisitos com fome que estão prontinhos para devorar o elo mais fraco. Mas por quê? Também não sei se vale a pena saber. Às vezes as respostas às questões que tanto queremos devem ficar onde estão pois,por vezes, o sonho e a ignorância são melhores do que a realidade nelas contida. Não sei o que pensam os demais desta minha escrita frenética, que me inundou a mente e o caderno no Metropolitano de Lisboa. Só sei que hoje tinha de escrever isto. Absurdo ou não, tinha de deitar cá para fora tudo aquilo que me sufoca. Nem sempre posso escrever coisas bonitas. Nem sempre a criatividade joga a meu favor nessa direcção. Às vezes também é preciso assustar os fantasmas que nos assustam. É bom vê-los morrer num pesadelo transformado em sonho, onde a esperança é a maior força. Aquela que é capaz de me tranquilizar.

Queridos leitores, hoje deu-me para isto.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Estou aqui para viver!

Encontro-me comigo
numa dimensão inusitada.
Perplexa instigo a confiança
pois encontro-me desconfiada.

Desconfio que esta vida
nada tem a ver comigo.
No entanto há indícios
de que aqui não há perigo.

Mas para quê desconfiar?
Para quê tanto sofrer?
Não será melhor amar?
Um dia sei que vou morrer,
e tudo isto vai passar.

Por isso, para quê entender,
se estou aqui para viver?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

É num mundo de fantasia...

É num mundo de fantasia
que eu gosto de sonhar
de ver cores, magia
e alegria no ar.

É num mundo de fantasia
que me esqueço do resto
abro as portas ao futuro
e esqueço o mundo desonesto.

É num mundo de fantasia
que rodopio até cair
numa nuvem de energia
que me adormece antes de partir.

É num mundo de fantasia
que eu volto a ser criança
volto ao abraço de pai e mãe
e volto a ter em mim a esperança.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Apresentação do livro: "No reino dos penteados" de António Castro.

" No Reino dos penteados todos os habitantes têm o cabelo comprido. É lá que vivem a Constança (que tem uma longa trança)o Rodrigo (com cabelos da cor do trigo) o Gonçalo ( que usa rabo de cavalo) e a Arcanja ( sempre de testa escondida devido à longa franja). Outrora, nesse lugar distante, as pessoas estavam sempre prontas a criticar as outras, ou seja, tinham muita dificuldade em reconhecer o que estava bem e muita alegria em apontar a mínima falha de cada um. Por esse motivo, os habitantes do Reino deixaram de agir, com medo que os criticassem..."


Caros leitores hoje quero falar-vos sobre um livro fantástico, que descobri este fim-de-semana. O livro " No reino dos penteados", do escritor António Castro, é um livro dirigido ao público infantil. Este, fala-nos de um tema bastante interessante nos dias de hoje: a crítica social. Ensina as crianças uma lição de vida que elas nunca irão esquecer. É de tenra idade que se aprendem os valores morais. E nada melhor do que um livro para as ensinar. O livro "No Reino dos Penteados" é mais do que apenas uma história infantil. É uma lição de vida para todos nós. Principalmente para os adultos pois, a tendência para as críticas verifica-se muito mais nos adultos do que nas crianças. Assim, recomendo-o a todos os Pais, Educadores e Professores, bem como a todos os interessados por literatura infanto-juvenil.

No dia 5 de Janeiro de 2013 tive o prazer de estar presente na apresentação do livro do meu amigo António Castro que além de ser Escritor, é também Professor na Madeira. António Castro tem uma vasta experiência na arte de ensinar e de escrever. Já conta com muitos livros de poesia, literatura infanto-juvenil, conto e romance. "No reino dos penteados" é o seu mais recente livro.




A apresentação teve lugar na Escola Eugénio dos Santos em Lisboa. 

Nas entrelinhas da noite.

Nas entrelinhas da noite
espero por ti, aqui.
Espero um beijo teu.

Quero a tua mão
na minha mão.
Saber que és meu.

Quero sentir o teu abraço
no universo um embaraço
daquilo que Deus nos deu.

Quero saber que não estou só
quero-te a ti, aqui.
Quero-te para sempre,
Só para mim.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Arquivo do blogue