Sigam o meu blogue! Tenho sempre novidades!

Traduza para o seu idioma

sábado, 9 de abril de 2016

O Crepe


Hoje foi assim! Foi dia de gula. :)

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Minha mente

Quero silenciar a minha mente.
Mesmo sabendo que ela não se cala.
Pois, quando a noite aparece
sei que é quando mais fala.

Jovita Capitão, Rainha das insónias.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Alma de poeta

A alma de um poeta
sente mais do que se julga.
Longo caminho de descoberta.
Breve beijo de Ternura.

A alma de um poeta
enobrece quando escreve.
Levantam-se a lua e as estrelas
para aplaudir a quem as descreve.

A alma de um poeta
abraça o mundo com amor.
Sabe que numa rua deserta
há sempre alguém que precisa
de um abraço protector.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias





Sobre o Aniverário

Queridos leitores e amigos, pensei em fazer um aniversário à grande e à Portuguesa, uma festa digna de uma Rainha, mas neste momento ando tão focada em outras coisas que acabei por não conseguir ter tempo para fazer tudo o que queria. 

Assim, decidi que em vez de ter um só dia de festa, passo a ter um mês inteiro para festejar os 5 anos acabadinhos de chegar ao blogue.

Além do Sorteio que estou a fazer, vou participar em diversos eventos, uns culturais, outros de empreendedorismo e continuarei a escrever tal como tem sido hábito.

Entretanto vou estar concentrada no meu trabalho paralelo tentando organizar-me a vários níveis. Sim, porque apesar de parecer que tenho vida de Rainha, nas horas vagas ainda trabalho como Gata Borralheira, no bom sentido claro!

Eu gostava mesmo era de poder escrever, escrever, escrever e não me preocupar em ganhar dinheiro de outras formas. Mas não dá. A Cultura em Portugal não é tão valorizada como devia ser,  

Pode ser que um dia, lá para os meus 90 e tal consiga um lugar ao sol junto aos ilustres e consagrados escritores da época contemporânea.

Resta-me esperar. Nem tudo é como nós queremos.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Espécies Raras - Reflexão

Há coisas que me fazem pensar e repensar naquilo que se passa à minha volta. Penso que esta seja uma característica comum de todos aqueles que fazem da escrita o seu refúgio. Além de ser um refúgio acredito que a escrita tem o poder de nos moldar e de nos tornar pessoas melhores. 

Devido a um pequeno episódio que prefiro não revelar aqui, fiquei a pensar como o ser humano consegue ser tolo! A mania das grandezas não fica bem a ninguém e penso que quem sofre disso acaba sempre por ficar sozinho. 

É óbvio que toda a gente gosta de ter um sentimento de importância em relação a algo. O problema é quando essa mesma importância se torna excessiva e obsessiva. 

É uma pena que pessoas tão inteligentes tenham comportamentos destes, diminuindo os outros para se sentirem melhor. Não sou assim e nem gosto de ter à minha volta pessoas desta espécie rara.

Talvez, devido àquilo que faço paralelamente à escrita, os leitores possam pensar que esse tipo de situações se verifica em mim. Garanto-vos que não. Sou tímida, gosto de ter momentos a sós comigo, tenho outros momentos em que a comunicação se torna importante, mas... cada coisa no seu lugar. Toda a gente pode ser importante sem levar vantagem das pessoas à sua volta. 

Arquivo do blogue