Traduza para o seu idioma

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Lei da vida???

Crueldade!
De verdade.
Não aceito.
Não há direito!
Uma pessoa
findar assim.
Tão nova!
Não.
Não concordo.
Não pactuo.
Onde foram buscar a ideia
de que é a lei da vida?
Da vida???
Eu não acho.
A vida, assim,
vale a pena ser vivida?
É pena
É triste
Não é lema para mim!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Monteirinho - Acróstico

Momentos de alegria
Obtive ao pé de ti.
Nunca me vou esquecer.
Trago na memória
Estas lembranças.
Irrisórias festanças
Rumo ao sucesso.
Impossível entender.
Não posso crer.
Hoje sinto pesar.
O momento é para chorar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Reflexão de hoje - O que é realmente importante!

A vida é demasiado curta para nos preocuparmos com coisas mínimas. Devemos, sim, prestar mais atenção àquilo que realmente é importante. As pessoas discutem, têm preconceitos, julgam os outros, irritam-se com as coisas mais simples... Vale mais a pena saber viver com bondade, carinho, amizade, amor e proporcionar aos outros momentos únicos que contribuam para a felicidade de todos. A vida escapa-nos das mãos quando menos esperamos. Estamos à espera de quê para sermos felizes, agora? Enquanto existe vida, existe esperança.

"A vida é uma peça de Teatro que não permite ensaios. Por isso cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos"
Charles Chaplin.

Que angústia!!!

Eu estava leve
antes de saber
O que realmente
estava a acontecer.

Meu coração caiu
ao perceber
que um grande amigo
está a sofrer.

Mesmo em coma
deve ouvir
vozes de oração
e de compaixão.

Por um homem nobre
de bom coração.
Que não merece
um final assim.

Apesar da angústia
pode haver solução.
Pois, eu creio no poder
de uma simples oração.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Dedico este poema ao meu amigo Monteirinho, que recupere depressa do seu estado de inactividade. 

Dia internacional da Amizade - Acróstico

Dar e receber.
Interesses vários.
Amor acima de tudo.

Interesse nos outros.
No bem-estar geral.
Todos temos direitos.
E não faz nenhum mal
Rir com os outros.
Nunca magoar.
Acreditar na amizade.
Coragem é essencial.
Interacção constante.
Orgulho saudável.
Nunca ser arrogante.
Amizade estável.
Liberdade de pensamento.

Diariamente ajudar
A quem precisar.

Amizade fiel.
Manter a comunicação.
Indicar o melhor.
Zangar é que não.
Abraços sinceros.
Dentro do coração
Encontrar o melhor.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Novo Ciclo

Um novo ciclo começa
na vida desta poetisa.
Nada tem de ser à pressa,
apenas quero ser precisa.

Um novo rumo encontrei
para concretizar o que quero.
Aquilo que um dia chorei
vai ser revisto em paralelo.

Nada acontece por acaso.
Ando eu sempre a dizer.
E aquilo que ambiciono
decerto, vai acontecer!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Blogue - Uma simples brincadeira ou um trabalho sério?

Quando a moda dos blogues começou a operar em Portugal ainda eram meros diários, onde as pessoas (geralmente jovens estudantes) gostavam de passar o seu tempo livre. Não eram ainda considerados sites e havia apenas um grupo restrito que os visitava. Com o passar dos anos, os blogues tornaram-se cada vez mais populares e as pessoas (de um modo geral) descobriram que podiam divulgar as suas ideias e partilhar as suas vivências com os outros. Mesmo assim, um blogue ainda era visto como um site sem interesse, no qual pouca gente se revia.

Hoje em dia essa ideia já não é válida. E por quê? Porque diversas empresas preferem ter um blogue sempre actualizado do que um site completamente parado. Há uma grande diferença entre um blogue e um site. Apesar de serem ambos da mesma família, um tem mais conteúdo do que o outro. O site é estático, previsível, sempre igual. Um blogue é dinâmico, imprevisível, interactivo e único! É por isso que prefiro ter um blogue do que um site. Um blogue é como eu, sempre em mudança e crescimento em todos os níveis. 

Um blogue é um trabalho sério? Sim. Um blogue é, de facto, um trabalho sério para quem o leva a sério. As funcionalidades são imensas e é necessário estar sempre a aprender nesta área, se queremos ter um blogue de sucesso. Além disso, muitas são as pessoas que trabalham em casa com os seus blogues. Infelizmente ainda há quem pense que trabalhar em casa é uma brincadeira. Quem pensa dessa forma tem a mente demasiado fechada para ver as potencialidades que um blogue tem de nos tornar pessoas independentes, ao mesmo tempo que nos torna melhores pessoas. Um blogue faz tudo isso? Sim, faz! Se nós deixarmos, claro. Para ter um blogue é necessário ter maturidade suficiente para superar os desafios com que nos deparamos diariamente. Quem não tem essa maturidade, por norma fica pelo caminho. E é por isso que existe tanto lixo electrónico. Muitos criam um blogue num dia e desistem no outro. Faz algum sentido fazer isso? Para mim, não!

Na minha opinião o nosso blogue, é o nosso espelho. Tudo aquilo que somos ou que queremos ser está espelhado neste espaço para quem quiser ver. Muitos não têm noção, mas todos os dias milhares de blogues são visitados por alguém que procura por um determinado conteúdo. Por isso devemos estar sempre actualizados para podermos dar aos leitores uma resposta plausível para aquilo que procuram. Esses visitantes podem ser do País de origem do blogue ou de outras partes do mundo. Compreende agora a responsabilidade que tem em mãos?Sim! Um blogue é um trabalho sério. 

A vida, num segundo.

Caminho em silêncios apertados
escondida no meio do meu mundo.
Não quero perder da vida,
nem um único segundo.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

A caminhada de hoje - A conquista da Felicidade!


Hoje, levei um livro comigo para as minhas andanças. No transporte público alienei-me do mundo e sobrevivi ao negativismo geral conquistando um estado de paz interior e de felicidade. Nunca, em toda a minha vida este livro fez tanto sentido Já o tenho há uns anos e até já falei nele aqui no blogue. E tenho a certeza que as pessoas que o lêem passam a ser pessoas mais felizes. Aconteceu comigo, também pode acontecer consigo. Temos de aprender a olhar mais para nós do que para os outros. Deixar a crítica de lado. Semear bons pensamentos, para colher a paz que tanto procuramos. Estive na companhia destas ideias durante todo o dia. Lendo, meditando, sorrindo... Fez-me bem. No entanto, há coisas que nos moem, muitas vezes durante anos. A estupidez humana é indecente, no sentido de que muitos gostam de julgar quem conhecem. Ou melhor, de facto não conhecem, nem querem conhecer. Muitos esperam que as pessoas mudem e que façam as coisas como eles querem. Mas nós não somos robôs, somos humanos. Estamos repletos de vivências e sentimentos diversos que nos apontam direcções diferentes. Não há dois caminhos exactamente iguais. Temos destinos semelhantes, mas nunca serão iguais. A consciência deste facto faz-me ficar com a alma límpida como água. Sei para onde vou, embora muitas vezes não saiba como o fazer. Por isso é que existe uma coisa chamada intuição, que infelizmente é negligenciada por muitos. Para mim a caminhada da felicidade é longa. A perfeição, nem sempre existe. Mas posso aproveitar o momento presente para sorrir o mais possível, para apreciar a natureza, o sorriso de uma criança, o amor de um pai para um filho e vice-versa. Embora haja momentos de quebra, momentos cinzentos, momentos de pura tristeza, temos de nos lembrar de que a vida tem mais significado que isso. A conquista da Felicidade é para todos os que se dispõem a lutar pelos seus sonhos.

Reflexão do dia - Julgamentos sem cabimento.

Cada um de nós tem um caminho a seguir. Mas independentemente dos obstáculos a escolha é sempre nossa. Para quê julgar o outro que não é igual, que tem outras crenças, que tem outras ideias, outros caminhos? Estamos nesta terra para aprender grandes lições. Só não as aprende quem está preso em ideologias, comandado cegamente por pessoas que se acham mais importantes do que deveriam. Essas pessoas sofrem e fazem sofrer sem necessidade. Somos todos iguais apesar das diferenças intrínsecas em cada um de nós. Iguais como seres humanos, com os mesmos direitos e deveres, mas diferentes nas ideias, nos valores, nos sonhos... não nos cabe a nós mudar o outro. Temos sim, a responsabilidade de mudarmos a nós mesmos para melhor, a cada dia.

Insónia interrompida

Andava eu na minha insónia
certa que seria fome.
Pensei em ir à cozinha
dar alguma coisa à barriguinha.
Andei de roda do armário
à procura de uma bolachinha.

Em vez da dita bolacha
sabem o que encontrei?
Um lindo Pastor Alemão
que me veio dar um sermão.

Mas de onde tu saíste?
Perguntei eu ao animal?
Ele rosnou, mas nada disse.
Não me queria fazer mal.

Eu é que me assustei
e fugi a sete pés.
É que eu nunca esperei
vê-lo aqui, desta vez.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Pastor Alemão - Acróstico

Perdi a cabeça ao acordar.
Assisti à presença de um canino.
Saído sei lá de onde, devagar.
Todo carente e mansinho.
Olhei para ele com medo.
Rosnou, o bicho de grande porte.

Avancei receosa entretanto.
Levei com uma dentuça afiada
Ele quer defender a casa
Mas deixou-me assustada.
A minha irmã que o trouxe
O que diz? Não diz nada!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Porque tenho publicidade no meu blogue?

Queridos leitores e amigos da Rainha, quando criei a Rainha das Insónias em 2011 nem sequer pensei em ganhar dinheiro. O meu objectivo era apenas divulgar o meu trabalho literário ao maior número de pessoas. Sempre gostei de escrever e procurei ser reconhecida nesta área. Por isso, foi por amor à escrita que resolvi criar este blogue. No entanto, ao longo destes três anos, decidi aprender mais sobre este mundo dos blogues e comecei a interessar-me por sites que ensinam passo a passo a melhorar o nosso espaço. Numa dessas pesquisas percebi que era normal ganhar dinheiro com sites e blogues. Isso chamou a minha atenção porque sempre tive em mente a minha independência financeira. Visto que, aquilo que se ganha a trabalhar de modo tradicional, por vezes não chega para aquilo que gostamos de fazer, achei que era vantajoso aprender mais sobre isso e aventurei-me para ter a minha liberdade. 

Já passou algum tempo, mas os resultados são mínimos. Eu pensei: " Se os outros conseguem, então também vou conseguir". Não é assim tão linear. São coisas que levam o seu tempo. Mas só agora percebo que, três anos de blogue não é nada e que afinal ainda tenho muito para aprender. Assim sendo, e porque a minha escrita não é nenhuma brincadeira, decidi aventurar-me por outro meio dentro da publicidade digital. Sei que diversas empresas procuram a Internet para divulgar os seus produtos e serviços. Porque é que eles escolhem os blogues? Porque todos os dias milhares de pessoas os visitam. Os mais populares são os blogues de moda e de notícias. Os de arte e cultura são menos visitados mas também têm lá um bom número de pessoas todos os dias. É o caso da Rainha que tem todos os dias pessoas que se interessam e que visitam o blogue. Sei que este espaço ainda vai dar que falar. Estou disposta a procurar soluções para manter a Rainha. Nunca antes este espaço foi tão importante para mim como é agora. Por isso a publicidade que tenho no meu blogue e que ainda virei a ter é uma necessidade. Além de que é uma consequência directa de todo o meu trabalho. Já pensaram quantas horas passo aqui no blogue para o manter actualizado? Já pensaram que escrever algo com conteúdo dá trabalho? Já pensaram na dedicação que tenho aos leitores, através daquilo que escrevo? Pois é, está na altura de ser reconhecida por este trabalho que faço praticamente de graça há tanto tempo.

Porque tenho publicidade no meu blogue? Porque um blogue não sobrevive sem publicidade. E depois de tudo o que investi está na altura de ter o retorno do meu trabalho, do meu esforço e da minha dedicação.

Sente!

Sente na pele a vontade de mudar.
Sente na pele a brisa do Verão.
Sente na pele e começa acreditar,
que ventos e tempos melhores virão.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Conversas de Escritores


" No céu. 
É lá que conheço José Saramago.
Num dia de Dezembro de 1998 voamos juntos para Estocolmo, onde ele vai receber daí a uns dias o Prémio Nobel da Literatura. Para chegarmos ao destino apanhamos na verdade dois voos. Não trocamos palavra no primeiro até Londres, uma vez que o avião vai cheio e ele segue em executiva, privilégio dos laureados, mas o segundo aparelho, que faz ligação até à capital sueca, encontra-se vazio.
Aproximo-me dele. A primeira impressão é a de estar perante uma pessoa entregue aos seus pensamentos. José Saramago senta-se sozinho num assento dianteiro, do lado direito. Parece-me uma pessoa contemplativa e introspectiva; fala pouco  e não olha para nada em especial, a não ser decerto para o que lhe vai pela cabeça.
Com algum descaramento pouso-lhe no regaço uns seis livros. O olhar contrai-se-lhe, como se regressasse de uma longa viagem mental..."

Assim escreve José Rodrigues dos Santos sobre José Saramago. Li e reli esta entrevista dezenas de vezes e não me canso. Primeiro porque se trata de uma entrevista efectuada por um jornalista que gosto muito, e segundo porque Saramago sempre foi uma referência para mim. Por isso, quando encontrei este livro, já não o larguei. "Conversas de escritores", é um livro especial. Trata-se de uma série de entrevistas aos mais diversos escritores que fazem parte da nossa história contemporânea. São pessoas bem formadas, cultas e com imensas coisas para contar. Só por ler as entrevistas, aprendi imenso com elas. Por essas e outras razões recomendo este livro.

domingo, 27 de julho de 2014

Estamos juntos?

Não sei o que irá acontecer. Estou longe de saber qual é o final desta história. Queria permanecer aqui indefinidamente, visto que a Rainha conquistou o meu coração e não sou capaz de me desfazer dela. Só o facto de pensar nisso já me faz sentir deprimida. Tenho, portanto, de erguer a cabeça e ir à luta, der por onde der. Vou ter de arranjar um lugar onde possa continuar este trabalho, que como todos sabem não é recente. Há três anos que a Rainha reina por aqui. A responsabilidade que tenho para com ela e os meus leitores é enorme. Não! Não vou desistir. Algumas coisas acontecem para nos ensinar algo. E eu vou descobrir o porquê disto estar a acontecer. Dizem por aí que é preciso sair da zona de conforto. Talvez esteja na altura de pôr isso em prática. Não posso simplesmente desistir dos meus sonhos por causa de meros obstáculos. Vamos conseguir dar a volta à situação, caro leitor. Juntos, podemos fazer toda a diferença numa sociedade onde o capitalismo tem mais poder. Não me dou por vencida. A literatura, a poesia, a criatividade, a cultura, são coisas de enorme importância. E eu, acredito que esta fase vai passar. Sim! Tenho de acreditar. Estamos juntos?

Anuncie aqui a sua empresa

Quer promover a sua empresa neste blogue? Entre em contacto comigo e solicite o Media-Kit.

Jovitacapitao85@gmail.com

Os Primeiros Passos na Poesia

O que é a Poesia?

A Poesia é um estado de alma, difícil de definir.
E é difícil pelo simples facto que para compreender é preciso sentir.
A Poesia é uma pequena amostra do íntimo do Poeta.
É um espelho daquilo que ele próprio interpreta.

Para começar a fazer poesia é necessário ter a atitude correcta.
Apesar de não ser preciso traçar uma meta.
O Poeta tem de sentir para poder escrever
aquilo que sabe ou que julga saber.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Respira fundo e continua!

Não desisto, mas das sequelas não me livro.


Igualdade versus Justiça


Palavras para quê?

Desfaço-me!

Desfaço as malas ao chegar.
Retiro a bagagem que me esmaga.
Desfaço-me em lágrimas ao olhar
para aquilo que deixo partir.

Não sei se voltarei a sorrir
tal é a dor que hoje sinto.
Ver o meu mundo cair
é bem pior do que absinto.

Quem me dera que apenas seja
um mero pesadelo ruim.
Espero acordar depressa
e retirar este nó dentro de mim.

Por isso desfaço-me em pedaços.
Meu coração está triste e só.
De que mais preciso, são mil abraços
que desfaçam este nó.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

A realidade!...

Queridos leitores, por vezes não entendo o por quê de passar por certas situações. Mas tudo tem uma explicação certo? Senão, porque viemos ao mundo afinal? Sinto uma tristeza dentro de mim, fruto das circunstâncias. Não sou pessoa de desistir dos meus sonhos. Mas até mesmo os grandes sonhos precisam de algo que ajude a manter a chama. Tal como os sonhos, o amor também é assim. Se não fizermos nada pelo outro, se não dermos amor, acabamos por perde-lo. Por vezes sinto que me dou demasiado aos outros. Levanto-os quando estão tristes, dou-lhes força para continuar. Claro que nunca tive nenhuma fortuna em dinheiro, nem andei a distribuí-la. A única coisa que já distribuí foi o meu amor e a minha amizade sincera pelas pessoas que conheço. Dei-lhes o meu tempo nos momentos mais complicados. E como sabem, tempo também é dinheiro. Então, mesmo sem saber distribui "euros" em troca do meu tempo. Disso, muitos se esquecem. Pois, quando estamos dispostos a ouvir um amigo, não estamos a fazer outra coisa. Logo, se tempo é dinheiro, já devo ter gasto muito mais dinheiro dessa forma do que aquele que já me passou pelas mãos. No entanto, o que fazemos pelos outros nem sempre é reconhecido. E agora sou eu que preciso. Sou eu que preciso de uma palavra, de um gesto, de algum conforto mental para que possa seguir em frente. A solidão que se faz sentir é a maior das pobrezas. Essa, é que é a realidade!

Arquivo do blogue