sexta-feira, 12 de abril de 2013

Lançamento da Maior Antologia Poética Contemporânea: "Aqui há poetas - Poesia sem Gavetas".

Queridos leitores, aproveito esta insónia para vos lembrar do lançamento da Maior Antologia Poética contemporânea: "Aqui há Poetas - Poesia sem Gavetas, da Pastelaria Estúdios Editora. Este Grande Livro conta com a presença de 127 autores. Tenho orgulho em fazer parte desta colectânea sendo um dos autores desta Grande Obra.

O Lançamento vai realizar-se no próximo dia 27 de Abril de 2013, pelas 21.00 horas, na Fábrica Braço de Prata, na Rua da Fábrica de Material de Guerra, nº1, em Lisboa. Como referência posso apenas dizer que fica para os lados da Estação do Oriente e que é mais fácil lá chegar de Comboio.

Revolta interior - O que estou eu a adiar?

Tenho a faca e o queijo
mas não mexo uma palha!
Tudo aquilo que desejo
de repente encalha.

Sei aquilo que sou.
Que receio tenho eu?
Só não há esperança
para aquele que morreu.

Tenho a vida pela frente!
O que estou eu a adiar?
Pára de ser lamechas
e luta para alcançar!

Jovita capitão, Rainha das Insónias.

Insónia, leite e bolacha Maria.

Hoje queria dormir, mas a insónia atacou de novo. O que fazer? Fui à cozinha e abri o frigorífico na esperança que isso solucionasse o meu problema. Aqueci então uma caneca de leite com chocolate, e abri um pacote de bolachas tipo Maria. Enquanto bebericava o leite e engolia avidamente as bolachas, fui lendo um livro que já não lia a algum tempo. "Conversas de escritores" de José Rodrigues dos santos. Li algumas entrevistas. José Saramago, Don Brown, Sveva Casati Modignani, entre outros. Como não consegui concentrar-me, fui ler poesia. Peguei no livro "Janela da Minha Alma" de Anabela Texugo. Abri ao acaso e li o seguinte:

                                "Alto Falar"
"Para quê falar se me calas?
Para quê comunicar se não deixas?
Não consigo perceber o teu ser.
Mas do amado quero amar!
Do alto Falar dizer que te amo
Que te quero e com tudo verbalizar.
No bom diálogo, amar-te com inspiração.
Aqui, ali, comunicas estas dúcteis palavras
aclamadas e choradas por mim, chocadas a mim.
Amarradas a mim para com todo o sempre."



Foi aí que me inspirei e decidi ligar de novo o computador para partilhar com todos vocês este lindo poema. Gostaram? Este poema é um dos muitos que constam no Livro "Janela da Minha Alma" de Anabela Texugo.


Janela da Minha Alma de Anabela Texugo pode ser encomendado:
- Qualquer balcão fnac
-Qualquer loja book.it
-Online; Woor, Chiado Editora e Bertrand.
-Está à venda na Fnac do Almada Forúm na bancada, junto com os Grandes Poetas Portugueses.

https://www.facebook.com/AnabelaTexugoJanelaDaMinhaAlma

Deolinda - Que seja Agora!


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Quero voar!

Quero voar no infinito
para me encontrar.
Mil estrelas visitar
e espreitar o azul do mar.

Quero voar pelo mundo
e encontrar a solução,
que me explica a razão
de eu estar neste mundo.

Quero voar por aí
para te encontrar também.
E assim, ser feliz como ninguém.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Palavras que ferem

Palavras que ferem
numa tortura tamanha,
armazenando mágoa
e vontade de fugir.

Quando aquilo que faço
não é o suficiente,
tens tendência
a depressa reagir.

Inflamas o discurso
culpando-me de tudo
quando na verdade
te sentes inseguro.

O problema está em ti.
Eu continuo no lugar.
Se um dia te mereci
foi por tanto te amar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

O sol não se vende? Vende-se sim. No eBay! :)

O sol não se vende,
mas há quem queira vende-lo.

Será apenas tolice de uma estrela?
Será fantasia de quem escreveu?
Será criatividade extrema,
de quem diz que o sol é seu?

O sol é de toda a gente.
Está preparado para todos.
Porque será que uns tantos tolos,
acreditam em tudo com papas e bolos?

O sol não se vende
mas está à venda no eBay.
Quem torra a mioleira
nunca mais de lá sai. :)

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Queridos leitores e amigos da Rainha a notícia está aqui. Algum de vocês quer comprar o sol? :)

O que vos inspira a escrever?

Queridos leitores, hoje deu-me para pensar sobre aquilo que me inspira a escrever. Por vezes nem sei o que escrever. Sinto que estou encalhada numa folha de papel vazia. Parece que mil ideias estão lá mas nenhuma delas resolve sair, tal como uma tombola que mistura tudo. Quantas vezes senti vontade de escrever algo com sentido, mas as palavas enrolam-se cá dentro e nada acontece! Profundamente entediada e aborrecida olho à minha volta à procura de inspiração. De onde vem ela?

Por diversas vezes tive mesmo de sair de casa, falar com outras pessoas, ver imagens, ler livros, revistas e afins, ver um filme, discutir amigavelmente com alguém sobre um assunto actual ou simplesmente ouvir música. E de repente, quando pensava que já não teria nenhuma ideia brilhante eis que se faz luz e tenho de a escrever de imediato antes que escape. Depois, com alguma calma e as condições apropriadas começo a escrever. 

Às vezes, são as coisas mais simples que me inspiram. Tal como: um lindo nascer ou pôr do sol, uma linda lua cheia, passarinhos nas árvores, o calor do verão, o mar, o som de crianças a brincar, a Primavera, amor, família e amigos. Uma boa trovoada, a chuva no telhado, o aconchego dos lençóis num dia frio. Um beijo, um abraço, um carinho.

E vocês, caros leitores e amigos, também já se sentiram assim? O que vos inspira a escrever?

terça-feira, 9 de abril de 2013

Na vida, tudo muda.

Na vida, tudo muda.
Mudo eu e mudas tu.
E a vida não refila
apenas põe tudo a nu.

A mudança é necessária
para podermos ver o sol.
Não é preciso ir à Austrália
para poder viver melhor.

Posso ser feliz já.
Posso ser feliz agora
a tomar um simples chá,
ou pegar numa viola.

Posso simplesmente sorrir
ou acenar a alguém que parte.
Posso simplesmente dormir
e sonhar que estou em Marte.

Na vida, tudo muda
mas começa por mim.
Se eu não mudar agora
o que vai ser de mim?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Entrevista ao escritor: Paulo Coelho.