Sigam o meu blogue! Tenho sempre novidades!

Traduza para o seu idioma

sábado, 23 de novembro de 2013

Mais uma insónia

Vi o nascer do dia. Não consegui dormir toda a noite. A história repete-se novamente. Insónias! Que mais poderia ser? Fico acordada à janela a ver a lua. E fico parada, pensativa, fascinada com a beleza da noite. Sinto-me cansada mas não arredo pé. Já tentei dormir, já tentei ler, já entulhei o estômago, já tomei chá... Nada. Não sou capaz de dormir. As ansiedades da vida e as preocupações não largam o meu cérebro assim que me deito. Assim, levanto-me para contemplar as estrelas. Lentamente vejo o nascer do dia. Os únicos ruídos provêm da chuva e do vento. Imagino como seria se a vida fosse apenas isto. Silêncio. Seria triste. Tão triste como o dia em questão. O silêncio é necessário, mas os sons são imprescindíveis para a nossa vivência sadia. Eu gosto do silêncio quando preciso de organizar as ideias, ou resolver uma situação mais complicada. Também utilizo o silêncio para escrever o que me vai na alma sem correr o risco de ser incomodada. Por vezes tento escrever nos transportes públicos. Impossível concentrar-me totalmente. É uma criança que chora, alguém que pede licença ou então os olhares curiosos das pessoas à minha volta. Impossível escrever com mil olhos postos em mim. Desisto e deixo-me levar, o resto da viagem. De repente, com tantos devaneios, acabo por me aperceber que já amanheceu completamente. Bocejo insistentemente! Começo a sentir o cansaço de uma noite inteira sem dormir. E agora? Agora vou dormir, senão logo não me aguento em pé.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Uma loba gigante



Quando a lua sai à rua
branca, redonda e brilhante
tenho medo de me transformar
numa loba gigante.
e sair para assustar
cada ser adjuvante
que esteja a passar
na rua nesse instante.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Transformar as palavras em sopros de amor

Vou transformar as palavras
em mil sopros de amor.
Vou amar-te nas entranhas
antes que amanheça.

Vou correr atrás de ti
como a lua beija a terra.
Com ternura acreditarei
que a vida não é só guerra.

O objectivo de cada ser
é espalhar a alegria e o amor.
E é isso que eu vou fazer
até o meu coração aquecer.

Vou soprar as palavras
e faze-las chegar a ti.
Vou libertar-me das amarras
que me prendem aqui.

E vou transformar as palavras
em mil sopros de amor
para que me ames também
com todo o esplendor do teu coração.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Chuva em forma de lágrima

Hoje chove
tal como os meus olhos
que de lágrimas estão cheios.
A amargura não cura
nenhum dos meus desejos.
Enlaça minhas pálpebras
deixando uma nuvem
que me turva a visão
e por dentro sinto a tristeza
neste meu grande coração.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Se eu pudesse...

Gostaria de escrever algo cativante
mas hoje, parece que não consigo.
As palavras entopem minha garganta
e não sai, nem sequer som de sino.

Gostaria de gritar o que penso
só que nem sempre é viável.
Ninguém precisa de saber
o quanto estou irritável.

Se eu pudesse...
minha voz ouvir-se-ia bem longe
talvez nos himalaias.

Quem sabe se ouviriam minhas preces...

Se ouviriam ou não, também não sei.
Mas eu ficaria aliviada deste sufoco
que teima em me perseguir .

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

A Insónia da Escritora

«Quero dormir, mas não consigo. Será indício de mais uma insónia?» - Questiono. «- Espero que não!»
A escritora levanta-se da cama e parte em busca de uma solução para a terrível insónia que se aproxima. Pé ante pé, dirige-se à sua estante repleta de livros. O que será que vai escolher? Já leu todos, os quais já repetiu centenas de vezes. Aborrecida, senta-se ao computador. E se escrevesse alguma coisa?
«-Hum, primeiro tenho de comer qualquer coisa...!» - pensa ela enquanto se prepara para ir à cozinha aquecer uma caneca de leite.
Momentos depois, aninha-se junto ao computador, coberta por uma manta quentinha aquecida previamente no seu habitual aquecedor, e começa a escrever pausadamente. As mãos deslizam sem esforço numa catadupa feliz. Seguem-se as palavras certas, os elementos certos para uma receita de palavras que embelezam o espaço em questão. Acredita em si própria e avança como se estivesse num palco. Imagina-se a tocar um formoso piano de teclas finas e concentra-se na melodia enquanto os seus dedos freneticamente a acompanham. Sabe que se continuar a escrever ficará sem sono e só adormecerá bastante tarde. Mas o que importa isso agora, se o prazer de escrever abafa qualquer tipo de constrangimento? E continua numa dança elegantemente feliz. A escrita faz parte dela desde sempre.

Jovita Capitão.

Quero voltar a estar zen.



Quero voltar a estar zen.
Imitar o canto dos pássaros,
sentir o encanto da alma,
criar um refúgio à minha volta.

Quero voltar a estar zen.
Acreditar num mundo melhor,
esquecer tudo o que me irrita
e lutar com todas as minhas forças.

Quero voltar a estar zen.
Abrir os braços à felicidade,
soprar os ventos da maldade
para bem longe de mim.

Quero voltar a estar zen.
Flutuar numa nuvem de sabedoria,
sentir a minha vida fluir
como se amanhã não houvesse dia.

Quero voltar a estar zen.
Transmitir paz ao meu semelhante,
e não me deixar perturbar
por algo estranho e deselegante.

Quero voltar a estar zen.
Chamar todas as forças da natureza,
mergulhar no mar de profundeza
e nas águas límpidas da vida.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Desabafo - A má educação é uma coisa que se pega...

Não gosto de pessoas que acham que estão sempre certas. Nunca erram, nunca falham, têm sempre razão. O que é que custa admitir que se errou? O que custa admitir que não se percebeu um determinado assunto? O que é que custa admitir que talvez a outra pessoa esteja certa? Pessoas assim são extremamente irritantes, arrogantes e nunca aprendem. E pior que isso, causam um desconforto a quem lhes quer bem porque não são capazes de dizer as palavras mágicas tais como: "peço desculpa" e "obrigada". 

Acontece que de vez em quando é necessário despreza-las porque a má educação é uma coisa que se pega... Vocês não acham?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Portugal está no Mundial!

Eu tenho orgulho
neste meu Portugal
onde nasci e cresci
é um orgulho nacional
aquilo que hoje vi.

Num jogo de emoção
Vimos o combate em questão.
Ronaldo, o Capitão
levou à vitória, a Selecção.

Tal como as Naus
que percorreram o mundo
Portugal vai ao Brasil
mostrar que ainda vive.

A cultura é aquilo que nos une!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O Tempo - um inimigo da Criatividade.

Um dos inimigos da criatividade é o tempo. O tempo que condiciona o pensamento...o tempo parado, o tempo apressado, o tempo que já não existe...

Jovita Capitão.

Greve do Metropolitano de Lisboa.

Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje acordei com a sensação que alguma coisa não bate certo. Não vos parece que estão a fazer greves a mais ultimamente? Quase todos os dias, o sector dos transportes públicos, quer seja Metro, Carris, e afins, inventa um motivo diferente para poder fazer greve. Afinal de contas por que motivos somos obrigados a comprar um passe, se depois não podemos utilizar? Na minha opinião, devia ser possível recuperar o dinheiro perdido nos dias de greve. Concordam?

Hoje há greve do Metropolitano de Lisboa. Já que nada posso fazer em relação a isto, deixo-vos este desabafo juntamente com o website onde podem encontrar as próximas greves para que não andem desprevenidos.

domingo, 17 de novembro de 2013

Reflexão do dia.

Quando acreditamos que é possível, não há limites. Os sonhos tornam-se realidade!

Jovita Capitão.

Arquivo do blogue