Traduza para o seu idioma

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Eu amo as letras!

Seja poesia ou prosa,
eu amo as letras.
Elas nasceram comigo.
São deveras, o meu porto de abrigo.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Pelejar por amor!

Estou à espera do meu príncipe
à janela do meu castelo.
Queria saber notícias
Sim, queria vê-lo!

Onde andas meu amor?
A pelejar por esses mundos?
Peleja antes, por esta que te espera.
Esta que mesmo não te vendo, te venera.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Agosto

Onde andas, mês de Agosto?
Estás atrás do sol posto?
Procuro por ti, mas não te vejo.
Espreito nas nuvens e nem um lampejo.

Saudades de ti, do teu calor, do mar...
Saudades dos sorrisos, do amor no ar.
Onde andas tu a suspirar?

Suspiras tu e suspiro eu
por não te sentir.
Pois, o frio não há meio de ir
deixando este lugar só para ti.

Ainda tenho de esperar por ti.
Quero agasalhar as palavras!
De tão enregeladas que estão
nem se atrevem a sair.

Vou deixa-las hibernar por um tempo
enquanto a chuva, o frio e o vento
persistirem em ficar.

Aguardarei por um tempo
em que o sol, o calor e a alegria
possa finalmente contemplar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Palavra de Rainha!

Queridos leitores e amigos
queria tanto aqui passar
mais uma noite com vocês,
mais uma noite a versejar.

Procurar sentido nas palavras
tentar faze-las rimar
ou procurar a alegria
nas ondulações do mar.

Queria perder-me nas letras
Contemplar o horizonte,
subir penedos, saltar montes
e ver a beleza das flores.

Mas como posso fazer isso
se o tempo é limitado?
A sobrevivência impera
neste mundo desajeitado.

Em vez de sonhar,
passo a vida a contar
os cêntimos da minha carteira.

E sonho apenas em um dia
não precisar
de tão chata brincadeira.

Mas como muitos dizem
a esperança nunca morre.
Um dia hei-de conseguir
apanhar a água que corre.

As ondas,
deixa-las-ei para trás.
E conquistarei o mundo.
E num suspiro profundo
esquecerei as coisas más,
aquelas que me puxam para o fundo.

Sorrirei!
Palavra de Rainha.
E abraçarei a escrita
por alma minha.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Arquivo do blogue