Traduza para o seu idioma

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Não somos Nada.

O que somos?
Não somos Nada.
Talvez um sopro de ar.
Talvez uma brisa junto ao mar.

O que somos?
Não somos Nada.
Um dia somos matéria
noutro dia a matéria se desfaz.

O que somos?
Não somos Nada.
Um dia somos vida
no outro dia apenas memória.

O que somos?
Não somos nada.
Apenas história
enquanto alguém se lembrar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

A muralha

Criaste uma muralha à tua volta.
Uma fantasia inexistente.
Querias defender-te de todo o mal.
Mas isso agora já não importa.
Criaste uma muralha quase fatal.
Num instante ficaste prisioneira.
Bem sabes como isso te fez mal.
Agora sabes que foi asneira.
Criaste uma muralha.
Mas ainda foste a tempo de a destruir.
Com as tuas próprias mãos libertaste o teu passado.
A tua vida pode agora fluir.
Deixaste a muralha para trás.
Agora só queres viver!
Aproveita e fica em paz
sempre que te apetecer.
Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Panda - Acróstico

Passo os dias devagar.
Adoro minha casa, o meu lar.
Nunca duvides da minha palavra.
Dou o melhor de mim, sempre.
Amo, sem limites.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.


sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

O Pudim - Sugestão de um leitor


Alguém comeu o Pudim.
Pensei eu mesma para mim,
ao vê-lo pela metade
numa elegante travessa.

Olhei para o que ficou
e de olhos a brilhar
uma ideia aflorou:
Que vontade de o provar!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Aceita o teu PRESENTE

Quando te agarras ao passado, não consegues ser feliz no presente. Agradece ao teu momento presente. É o teu PRESENTE. Por isso aceita-o! 

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Mensagem de esperança!

Um novo ano está a chegar. Muda, aquilo que precisares mudar. 

Sabes que queres uma mudança, mas não sabes como começar? Faz como eu. Ouve o teu coração. Ele sabe o caminho!...

Boas Festas e até Breve!

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Está frio, mas ainda não nevou.

Está frio.
O Inverno já chegou.
As árvores já estão despidas.
As pessoas nas ermidas.
Mas ainda não nevou.

Está frio.
O chão está repleto de folhas
que a força do vento arrancou.
Mas ainda não nevou.

Está frio.
Os casacos fazem parte da indumentária
de quem a este tempo já se habituou.
Mas ainda não nevou.

Está um frio de rachar
e todos esperam a neve chegar.
Mas ainda não nevou.

Mas se alguém por um mero acaso
já tenha visto neve por aí,
que se acuse, que me diga
pois eu gostava de ver neve
mas ando muito distraída.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 16 de dezembro de 2017

O tempo foge a galopar.

O Natal está bem perto.
Um ano novo espera por nós.
E o tempo passa a correr
desde o tempo dos nossos avós.

Quando o sol desponta no céu
já o meio-dia aconteceu.
E quando a lua já vai nua
o pôr-do-sol já se deu.

O tempo voa de uma forma veloz
Passa por nós sempre a galopar.
É por isso que não o conseguimos agarrar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 26 de novembro de 2017

São Insónias, meu senhor!

Antes de se deitar a Rainha praguejava
gastando o solo do quarto à sua passagem
pois o sono que ela tanto almejava
teimava em não aparecer, andava pois na vadiagem.

Praguejava a Rainha de um lado para o outro
queixando-se da sua má sorte.
Por que deixara o sono assim tão solto?
Tão irritada estava que perdeu o norte.

Saiu da sua Torre disposta a encontra-lo
mas lá fora não o achou.
Já pensava em mandar enforca-lo
quando uma voz grossa a sobressaltou.

- Quem está aí? - Perguntou o Rei,
que atónito deu de caras com a Rainha.
Ela, o cabelo em desalinho tinha.
E com maus modos lhe respondeu:
-Pois se não sabeis quem eu sou, que direi?

-Que fazeis aqui na escada,
a estas horas acordada?

Podem andar lobos lá fora
Coveiros com a pá na mão.
Fantasmas corriqueiros
e bruxas de caldeirão.

Sabei que pode estar de emboscada
atrás daquela enseada, um matreiro ladrão
não tereis sequer pavor?

Ao que a Rainha respondeu abespinhada:
- São insónias, meu senhor!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 25 de novembro de 2017

Gotas de Paz

Os sinos tocam.
A noiva sorri.
Os velhos notam
a alegria da vida.

Entoam canções
de imensa felicidade,
nos seus corações
de eterna bondade.

Desejos sinceros
no infinito...,
de renegação
pelas coisas más.

Emoções fraternas.
Abraços famintos.
Sorrisos de chuva.
Gotas de paz.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Já agradeceste hoje? Fá-lo agora!

Quando acordares, agradece. Sim, agradece por tudo aquilo que tens e por todas as pessoas que te acompanham agora. Tudo tem um propósito maior. Qual é o teu? Tu sabes bem qual é. Lembra-te: os desvios nunca te desviam completamente do teu propósito de vida. Os desvios apenas te dão mais certezas e força para lutar. Sabes o que tens de fazer. Agora vai e não desistas ao primeiro tropeço. Sabias que os tropeços fazem parte da vida? Tu sabes que és capaz de fazer melhor. Sim, tu sabes que voltas sempre com um sorriso no rosto depois de passar a tempestade. Já agradeceste hoje? Fá-lo agora!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Resquícios de Rebeldia

Dizem que sou uma menina rebelde.
Que, se tudo quer, tudo pode.
Não deixam de ter uma certa razão
mas na realidade, não sou rebelde. Não!

Porque se rebelde sou
então vivo à margem da lei.
Mas por aquilo que sei
não prejudico ninguém.

E quem disse que a lei,
sendo ela universal,
faz sentido?

E quantas coisas
se fazem
mesmo sendo proibido?

E por que tenho eu
de ter culpa pelo resto do mundo?
Se tudo aquilo que eu quero
é ser eu mesma, independentemente de tudo?

Dizem que sou rebelde.
Então que seja!
Pelo menos sou feliz.
Parem lá de ter inveja!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sábado, 11 de novembro de 2017

Era uma vez um crocodilo

Um crocodilo subia o rio
como habitualmente o fazia.
Tranquilo fazia a sua viagem,
sem se importar com a bagagem
nem com aquilo que comia.

Certo dia, enganou-se no caminho.
Passou por uma traineira
que ia em direcção à Madeira.
E fez um desvio ao seu destino.

Completamente atónito,
só percebeu que se afastava,
quando uma forte corrente
de repente o arrastava.

Passou pelo mar Mediterrâneo
com uma dor no crânio
e o coração apertado.

Não teve tempo de pensar
por que tinha ido parar ao mar
nem por que estava a ser arrastado.

Passou o estreito de Gilbraltar
e continuou a navegar
até chegar a um porto seguro.

Não sabia onde estava
até ouvir gritar
Um Crocodilo?! Socorrrrrrrooooooo!!!

Tinha feito escala no Algarve.
Parou pois para descansar
Comeu que nem um alarve
e voltou depois para o mar.

Tinha consultado o mapa
do transeunte que assustara
e percebeu então
que muito se afastara.

Teve de percorrer novamente
o caminho de volta.
Felizmente, encontrou uma amiga,
uma gaivota.

O nosso crocodilo
tinha saudades de casa
e se pudesse voar....
mas não tinha asas.
Tinha de navegar
mar acima,
até chegar ao seu destino.

Era uma vez um crocodilo
que no caminho se perdeu.
Mas que na sua aventura
muito também aprendeu.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.