Traduza para o seu idioma

sábado, 12 de janeiro de 2019

As chamas




As chamas devoram lentamente
o pedaço de madeira.
E eu fico quase que hipnotizada
observando a lareira.

Pensamentos vários
percorrem a minha mente.
Enquanto estou em silêncio
meditando veementemente.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Pitchula - Acróstico


Parece que foi ontem que a conheci.
Isso já foi há algum tempo!
Tem personalidade própria.
Come e bebe com satisfação.
Hoje está aqui comigo.
Uma vez, cravou-me o dente...
Ladra quando sente que vem lá alguém.
Aquece a minha cama como ninguém.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

A força que há em nós

No limiar das nossas fraquezas
descobrimos a força que há em nós.
Antes, nem sabíamos que existia.
Agora sabemos que não estamos sós.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Saber calar é ter nobreza

Dizem por aqui coisas...
Mas que interessam essas coisas?
Acaso essas coisas são tuas?
Para quê aflorar pelas ruas
contando coisas que nem sabes
se são verdades?

Sabes que as verdades dos outros
não são as tuas vaidades.
E aquilo que tu dizes saber
não é mais do que isso, vaidade.
Pobres tolos!

Dizem por ali coisas...
Mas que interessam essas coisas?
Acaso conheces a questão?
Mas por que é que então,
sais por aí toda aprumada
falando porque sim e porque não?

Sabes que as verdades dos outros
não são as tuas vaidades.
E aquilo que tu dizes saber
não é mais do que isso, vaidade.
Pobres tolos!

Dizem por aqui e por ali
coisas do arco da velha.
Mas nem sequer sabes
a que arco se refere.
Ou a que velha...

Deixa lá a velha
e o arco da mesma.
E cala-te quando não tiveres certeza!
Saber calar é ter nobreza.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Moeda de troca

Pertences a um passado que se extinguiu
a um mundo que deixou de florir
que ficou para trás com o que sobrava de ti.

Somos meras moedas de troca,
sem vida...

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 30 de dezembro de 2018

Ao soar a última badalada!

Falta tão pouco
para a mudança,
para a dança
que finda o ano
outra vez.

Falta tão pouco...
O tempo urge.
E a esperança?
Essa sempre ressurge
ao soar a última badalada.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Feliz Natal




Queridos leitores e amigos da Rainha, desejo que os nossos sonhos se tornem realidade não só neste Natal, mas também no ano que se avizinha.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Às vezes menina. Outras, madura.

Às vezes sou um barco
que flutua.
Outras vezes sou a âncora
que o segura.

Às vezes a tempestade
apanha-me.
Outras vezes,
a tempestade sou eu.

Às vezes inconstante
Outras, confiante.
Às vezes menina.
Outras, madura.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Economizar? A escolha é tua!

Queridos leitores e amigos da Rainha, vou contar-vos duas histórias. Ambas de contexto semelhante, mas diferentes na atitude de cada personagem. A minha intenção é que reflictam em cada uma delas de modo a perceber qual das personagens são na realidade. 

História A.

Era uma vez uma menina que queria muito juntar dinheiro para o seu sonho. Arranjou um mealheiro e ao longo do ano foi colocando pequenas moedas. No entanto, à medida que o mealheiro ia ficando mais pesado, ela ia pensando em todas as guloseimas que podia comprar se o abrisse. Todos os dias olhava para o mealheiro com esse pensamento. Mas logo depois se lembrava que se o fizesse não teria dinheiro suficiente para realizar o seu sonho. Assim, ela alimentava o sonho, em vez de alimentar os seus desejos mais imediatos. No final do ano, finalmente pôde partir o mealheiro e com surpresa verificou que, não só tinha dinheiro suficiente para se inscrever na escola de Ballet, como também tinha dinheiro para fazer uma festa e comemorar essa data especial com os seus amigos e familiares. 



História B.

Era uma vez uma menina que queria muito juntar dinheiro para o seu sonho. Arranjou um mealheiro e ao longo do ano foi colocando pequenas moedas. No entanto, à medida que o mealheiro ia ficando mais pesado, ela ia pensando em todas as guloseimas que podia comprar se o abrisse. Todos os dias olhava para o mealheiro com esse pensamento. E embora soubesse que não podia, ia alimentando a vontade de satisfazer os seus desejos imediatos. Um dia, não aguentou mais e partiu o mealheiro. Eram tantas as moedas que tinha juntado que pensou que não fazia mal se utilizasse uma parte para os doces e o restante guardaria outra vez. Assim pensou, assim o fez. Mas a gula tomou conta dela e todos os dias retirava mais uma moeda. Quando chegou ao final do ano, é que se deu conta da burrice que cometera. Com tanto doce, ficou doente. Estava com tantas dores de barriga que não podia sair de casa, nem sequer para brincar. Além disso tinha perdido a sua oportunidade de realizar o seu maior sonho: entrar na escola de Ballet. 

Com qual das histórias te identificas?

Agora deves estar a pensar o motivo de estar a escrever isto, e tens toda a razão. Visto que nos encontramos no limiar de um ano que está prestes a nascer, o que estás disposto a fazer em relação aos tens sonhos? Vais juntar dinheiro, com trabalho, empenho e energia e fazer uma poupança significativa para que os teus sonhos se realizem  ou vais continuar a fazer gastos desnecessários que vão certamente comprometer aquilo que tanto queres? A escolha é tua! 

Existem várias formas de poupar dinheiro durante o próximo ano. 

Uma delas é visitar o site https://www.cupomvalido.com.br 

Este site oferece centenas de descontos nas mais diversas marcas. 

Já que existem coisas que tens mesmo de comprar, porque não aproveitas os descontos para economizar algum dinheiro?

Claro que também podes (e deves) ter um mealheiro. Já sabes que de grão em grão, podes concretizar todos os teus sonhos. 

Desapega-te, aceita e sê feliz!

Quantas vezes adiamos as mudanças que precisamos de fazer, porque simplesmente não somos capazes de avançar!... Mas ficar preso ao passado não é a melhor solução. Desapega-te de tudo aquilo que deixou de fazer sentido há demasiado tempo. Desapega-te dos sapatos que te magoam, da roupa que já não te serve, das pessoas que não te acrescentam coisas boas. Desapega-te de ideologias que não te representam. Desapega-te de sonhos que se tornaram pesadelos. Desapega-te de costumes, rotinas e pensamentos negativos. Desapega-te dos velhos caminhos que te levam sempre aos mesmos lugares. Desapega-te de bens supérfluos que nunca utilizas. Desapega-te da vontade de ter sempre razão. Começa a aceitar que nem toda a gente tem a mesma opinião. Começa a aceitar que não és perfeito, aceitando porém que a vida é feita de mudanças e evolução. Desapega-te, aceita e sê feliz!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 2 de dezembro de 2018

Reflexão antes de acabar o ano corrente.

Queridos leitores e amigos da Rainha, quem é que já se anda a preparar para entrar em 2019 em grande estilo?

Eu já comecei a destralhar, porque só quero levar para o próximo ano aquilo que for realmente importante. 

O que é realmente importante para ti? 

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Cicatrizes

Todas as cicatrizes
contam histórias.
São memórias
de superação.
São vitórias!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.