Traduza para o seu idioma

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O acidente das motas

Estava eu a passar na rua
quando presenciei um acidente.
Duas motas chocaram
mas o choque não foi de frente.

A distância entre as duas
era, pois, insuficiente.
Quando o sinal fechou
a detrás partiu um dente.

Sim, partiu um dente!
Ou até mais do que um.
A senhora foi ao chão
e gerou-se um trinta e um.

Ela chorava já de pé.
Queria que a da frente pagasse.
Esperaram que a polícia chegasse.
Mas a culpa tinha sido dela.

E assim se estraga uma mota.
E se vai parar ao chão.
Devia ter deixado uma distância de segurança.
Não foi isto que aprendeu nas aulas de condução?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Qual a idade certa para tirar a Carta de Condução?


Queridos leitores e amigos da Rainha, para quem não sabe, encontro-me a tirar a carta de condução.

Durante muitos anos não quis tirar a carta. Achava que não precisava e que era uma perda de tempo e de energia porque não tinha o mínimo interesse de o fazer. Hoje em dia, já não penso da mesma forma. Ter a carta de condução vai abrir-me portas para outras possibilidades profissionais e ao mesmo tempo vai dar-me a liberdade e a autonomia que eu procuro no momento presente.

Gostava de saber, por curiosidade, qual a melhor idade para se tirar a carta? Há quem diga que é aos 18 anos porque temos mais capacidade de aprendizagem, mais reflexos, etc... mas também existem pessoas que são apologistas de tirar a carta mais tarde porque o senso responsabilidade é diferente e por vezes trata-se de uma questão de necessidade do próprio. Dá-me a tua opinião!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Trânsito - Acróstico

Todos querem chegar em primeiro lugar.
Resmungam aqueles que não o podem fazer.
Arfam enquanto esperam o sinal abrir.
Não se fazem rogados quando podem seguir.
Sinto muito, que muitos não respeitem os sinais.
Importantes eles são, para a nossa segurança.
Todos deviam estar atentos aos demais.
O condutor deve ser o primeiro a transmitir confiança.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Código Da Estrada - Acróstico

Corrige-me se estiver enganada, mas...
Oportunamente  hei-de saber.
Diz-me lá se tenho razão!
Isto de conduzir, tem algum senão.
Gosto de aprender, é verdade.
Odeio fazer o que não quero.
Dizem por aí que o trânsito tem regras!
Assim sendo não posso contrariar.
E se acontecer uma infracção?
Sei que vou ter de pagar.
Travo com o motor,
Retiro o pé da embraiagem,
Abrando o meu veículo,
Depois abro o vidro para falar com o Agente.
Ai de mim, que fui apanhada!

Assim é o Código da Estrada.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Recomeços...

Pois é meus queridos amigos e leitores, a vida é repleta de recomeços. Quando menos esperamos vem um vendaval de situações que nos leva para outros caminhos. Eu passo a vida a recomeçar... excepto quando é a escrita que me move. É por ela que continuo todos os dias mesmo que à partida não ganhe minimamente nada com isso. Aliás, ganho sempre alguma coisa. Não dinheiro, claro. Mas reconhecimento, um comentário apreciativo, uma partilha ou um simples like no facebook. Mas não é exactamente isso que um escritor espera quando escreve um texto, certo? Certo. A valorização também existe quando somos pagos pelo trabalho que fazemos. E se esse trabalho envolve dias, semanas, ou mesmo meses, devia ser bem remunerado. Infelizmente, por mais anos que passem as Artes continuam a ser subvalorizadas. Enfim... mas não é este o tema do texto de hoje. O tema é "Recomeços". Ok! Mas recomeços porquê, perguntam vocês? Bem, recomeços no sentido de levar mais a sério este trabalho que já faço há mais de 20 anos. Pretendo aumentar o ritmo em termos literários, de uma forma profissional, sem descurar outras situações da vida que também são importantes no momento presente. Recomeçar, significa mais do que começar outra vez. Na nossa mente, quando pensamos em recomeçar, transmitimos uma força holística à palavra. Como se a palavra " recomeçar" se tornasse um sopro imperativo atrás da nossa orelha. Um incentivo àquilo que é de facto de mais sagrado em nós. E por essa razão. pretendo recomeçar e continuar sempre a escrever mais e mais até "esgotar" todas as palavras.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Fugir para o monte

Quero fugir para o monte.
Olhar apenas o horizonte.
Fixar o pensamento em mim.
Esquecer tudo aquilo que é ruim.

Quero fugir para o monte.
Ser eremita num lugar isolado.
Só para não ter de carregar o fardo
daquilo que me faz ser forte.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Quedas e lições

De quantos recomeços
é feita a vida?
De quantos tropeços
és vencida?
De quantos acertos
precedida?
De quantas quedas
erguida?

De tantas quantas forem necessárias
para aprender as lições que a vida me dá!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 9 de abril de 2017

Este fim-de-semana

Queridos leitores e amigos da Rainha, este fim-de-semana ficou marcado pelo Evento da Empresa que represento. Além dos habituais reconhecimentos e da entrega das viaturas, tivemos também um momento de formação e desenvolvimento pessoal.

Contamos com a presença do Ricardo Carriço (Cantor/ Actor) e do Fernando Pimenta (Atleta Olímpico), ambos embaixadores da LR em Portugal.

Algumas fotos não têm muita qualidade, mas o que importa realmente são os bons momentos que passamos com aqueles que são importantes para nós, por isso, desculpem qualquer coisinha. ;)














quarta-feira, 5 de abril de 2017

Saramago tinha razão

Já dizia Saramago,
que era preciso sair da ilha
para ver de facto a ilha.

Não estava de todo enganado.
Vejo isso em todo o lado.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Mensagem da Rainha para os Leitores

Queridos leitores e amigos da Rainha, cada vez estou mais comprometida com os meus sonhos. Este, vai ser um ano de muita dedicação a projectos pessoais que finalmente,aos poucos, estou a conseguir concretizar. É por essa razão que posso passar algum tempo sem escrever, embora tente levar a escrita sempre comigo. Mas o tempo é limitado e existem prioridades. No entanto podem contar com a Rainha no que diz respeito a sugestões culturais, artísticas e a típica poesia que já faz parte do blogue. Por hoje é tudo. Estou tão cansada, que esta noite acho que não vou ter insónias. Volto amanhã com mais novidades! :)

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Poesia

Quando escrevo,
onde andas tu, meu sono?
Manténs-me acordada
por horas a fio.

Fico a pensar
que durante a madrugada
te propões a vigiar.
Mas ninguém te viu.

Talvez a poesia
realmente te cative.
Talvez seja por isso
que sono, ainda não tive.

Mas sonhos, eu tenho-os!
Dentro de mim estão vivos!
Esses sonhos que comigo viajam
são meus amigos de infância.

Bem cedo acordei comigo
que um dia seria livre como tu.
Abri os braços para a poesia num gesto nu.
Comecei a escrever com constância.

E com elegância e simplicidade
fui poetizando na verdade
com todo o carinho que tenho por ti.
E com cumplicidade, amei-te, beijei-te,
e desde essa altura eu renasci!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 29 de março de 2017

A Escrita - O meu sonho actual

Será possível que depois dos 30 anos ainda tenhamos dúvidas do que fazer profissionalmente? Sim, é possível. Aliás, eu não tenho dúvidas quanto a isso, a dificuldade prende-se pelo facto de eu ter feito um desvio tão grande do meu caminho que agora custa voltar novamente à linha de partida.

Existe um curso que eu quero muito fazer, porque tem tudo a ver comigo. Se não fosse a questão financeira a pesar mais na balança, já o teria feito há muito tempo. Estou a falar do curso de Ciências da Comunicação e da Cultura.

Gosto de tudo o que envolve essa área de estudo e profissão. Os meus olhos brilham quando ouço um bom locutor de rádio, quando simplesmente leio uma notícia bem estruturada, quando vejo uma boa entrevista numa revista, quando vejo um programa de Televisão que me prende ( hoje em dia são raros) e principalmente quando escrevo um texto ou poema e alguém comenta positivamente.

Ainda não desisti desse sonho. Ainda tenho tempo de o colocar em prática. Ainda acredito que tenho o direito de o fazer, mesmo que as circunstâncias actuais não ajudem. A escrita sempre andou lado a lado comigo.

Um dia destes encontrei uma forma de fazer jornalismo de uma forma mais simples por ser digital. Já me inscrevi na plataforma e pretendo fazer história nesse meio. Se realmente resultar comigo, em breve falarei dela aqui. Pode ser que mais pessoas se interessem e que desta forma possa ajudar quem tem o mesmo sonho que eu.

Rainha das Insónias

Pelas insónias, ninguém se esquece da Rainha.
E todos sabem que esta personagem é minha.
Logo, veremos como se desenrola a história
desta que ficará para sempre na vossa memória.

Jovita Capitão Rainha das Insónias.

E assim vai o mundo...

E assim vai o mundo
caríssimo senhor Presidente.
Já não há emprego
para toda a gente.

E para os poetas como eu,
resta-nos apenas o céu.
Para contemplar e poetizar
numa noite de luar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Queridos leitores e amigos da Rainha, este poema vai de encontro a um grande tema da actualidade: o desemprego que existe massivamente em Portugal. Todos sabemos que este flagelo atinge todos os tipos de profissão, mas o que motivou a escrever sobre isto foi esta notícia, na qual o Actor Ruy de Carvalho, numa conversa com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, diz que " Há muito talento à espera de trabalho".

E assim vai o mundo... Haverá alguma maneira prática de ajudar os Artistas deste nosso País? O que podemos fazer, Senhor Presidente? Bem...este tema dá pano para mangas. Há sempre alguma coisa a fazer, principalmente pelo próprio indivíduo que se encontra neste tipo de situação. Se a oportunidade não chega até mim, que tal criar as minhas próprias oportunidades? Se por um lado, existem entidades próprias para cuidar destas situações, também nós devemos ser mais proactivos enquanto nada acontece. Até porque o frigorífico não se enche sozinho, e ainda não vi dinheiro a cair do céu. Para reflectir! ;)

terça-feira, 28 de março de 2017

Chegou a hora!

Chegou a hora de escolher
entre ficar ou partir.
Chegou a hora de pensar
naquilo que me faz realmente sorrir.

Chegou a hora de retomar
os sonhos que ficaram para trás.
Chegou a hora de movimentar
tudo aquilo que me satisfaz.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Criação Literaria - As bolsas estão de volta

Queridos leitores e amigos da Rainha, fiquei muito feliz com uma notícia que li que tem tudo a ver comigo.

Luís Filipe Castro Mendes, actual Ministro da Cultura Português, fez hoje um comunicado importante para quem tem um gosto especial por esta temática.

Anunciou que vai haver investimento nas Bolsas de Criação Literária, o que significa uma oportunidade única para todos aqueles que querem enveredar por esta área, mas que até aqui não tinham possibilidades monetárias.

As Bolsas que foram criadas em 1996 e interrompidas em 2002, estão agora de volta para Autores sem trabalhos editados. Serão valorizados os trabalhos de Banda Desenhada, Literatura Infanto-Juvenil e obras de Ilustração.

Claro que eu vou participar. Vou estar atenta a todas as novidades que venham neste sentido! :)

Para mais informações podem consultar o seguinte link:

https://www.noticiasaominuto.com/cultura/763586/ministro-da-cultura-anuncia-reativacao-das-bolsas-de-criacao-literaria

terça-feira, 21 de março de 2017

Kick OFF LR e Show Case do Ricardo Carriço


Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje fui buscar os bilhetes para o lançamento do novo Album do meu amigo, Actor e Cantor Ricardo Carriço.

Para quem ainda não sabe, o Ricardo Carriço é um dos Embaixadores da marca LR, que eu represento há mais de 2 anos. No dia 8 de Abril de 2017 vai haver um Evento dedicado à Empresa, onde algumas pessoas vão ser reconhecidas pelo seu trabalho,  com direito a assistir ao Show Case do Ricardo.

Os bilhetes são comprados através de qualquer Parceiro LR, caso já sejas parceiro podes sempre pedir directamente à empresa com uma simples encomenda dos teus produtos favoritos.

Eu vou lá estar, e tu?

segunda-feira, 20 de março de 2017

O amor é uma carta fechada

O amor é uma carta fechada.
Quando amamos ficamos vidrados.
Queremos beijar de olhos fechados,
senão não nos sabe a nada.

Mas de olhos fechados
não vemos o futuro.
Achamos que vai durar para sempre
e que ninguém se interpõem entre a gente.

Quão esmagados ficamos
quando descobrimos que nos enganamos.
Através do brilho que o olhar emite
queremos saber a verdade,
mas ele não nos permite.

Nada dura para sempre.
Embora pensemos assim
lutamos arduamente
para no altar dizer sim.

Mas antes de casar
já pode existir uma nuvem.
Uma daquelas que turva a visão
e que nos faz um dia dizer não
à pessoa que já nos fez feliz.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

A vida é uma escola

A vida é uma escola
que nos ensina diariamente.
Para aprendermos
vamos cair certamente.

Depois de cairmos,
temos de aprender a levantar.
Muito pior fica aquele
que no chão quer ficar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 19 de março de 2017

Vontades antigas no pensamento.

Queridos leitores e amigos da Rainha, aquilo que mais me irrita na vida é as pessoas mais próximas acharem que desperdicei os últimos anos a escrever. Eu não desperdicei nada, aquilo que fiz foi dedicar-me a um sonho que julgo ser possível de alcançar. Antigamente, quem era reconhecido pela escrita eram aqueles que conseguiam publicar livros. Agora já não é assim. Existem variadíssimas formas de mostrar o nosso trabalho, visto que a tendência é maioritariamente digital. E ainda bem que assim é porque abriu-me portas para possibilidades nunca antes possíveis.

Por causa deste tema e da desvalorização do meu trabalho, penso que está na hora de fazer uma avaliação a ver se estou no caminho certo. Vamos a isto?

Sobre a Escrita:

Participação na Antologia Poética: Tertúlia da Gandaia II (Janeiro 2017)
Participação na Antologia Poética: Tertúlia da Gandaia (Fevereiro 2016)
Participação em prosa poética na primeira edição da Revista Literamundo publicada
em Novembro de 2014 no Brasil, disponível também online.
Participação em duas Colectâneas de Poesia em 2013 (“Namorar é preciso” e “Aqui há
poetas – Poesia sem gavetas”)
Escritora Freelancer desde 2012
Autora do livro: "A casa das Rosas" - Saga Infanto-Juvenil (Ainda por publicar)
Autora do Blogue: “Rainha das insónias” desde 2011 -
www.rainhadasinsonias.blogspot.pt
Poetisa desde 1994

Participações Sócio-Culturais:

Embaixadora Cultural Internacional no Movimento União Cultural desde Outubro de 2016
(Quarto cargo no Movimento, no qual faço parte desde Janeiro de 2014) num Intercâmbio
cultural entre Portugal e Brasil.
Participação activa em Eventos culturais e sociais: Apresentação de livros, Tertúlias,
Exposições de Arte, apresentação de negócios, etc.

Participação activa nos seguintes grupos de arte, cultura e literatura:
Movimento União Cultural desde Janeiro de 2014; Associação Gandaia desde 2013;
Solar de Poetas desde 2011;

Como podem ver, não fiz nada de jeito nestes últimos anos, nem contribui de forma realmente importante para a Cultura do meu País e além mar. Santa paciência!... Quem não valoriza isto, então valoriza o quê???!!!

Enfim, há sempre alguém que tende em nos colocar para baixo para tapar os defeitos que tem, de forma a sentir-se superior em relação a nós. Infelizmente temos de passar por isso, principalmente quando se trata de pessoas muito próximas de nós.

No entanto, e como é de esperar, eu não fiz apenas isto profissionalmente. Antes de 2011 trabalhei em várias áreas diferentes de modo a conseguir o meu sustento, tais como: Restauração, Saúde e Vendas.

E mais recentemente, em 2014, tornei-me parceira de uma empresa na área da venda-directa e do Marketing de rede, onde a minha principal função tem sido o recrutamento de novas pessoas de forma a ajuda-las a ter um rendimento extra com a empresa, trabalhando de forma independente.

Sinceramente, só não vê quem não quer. Claro que tenho algumas lacunas no meu currículo que quero colmatar este ano. Por exemplo, este ano decidi inscrever-me numa escola de condução. Sem dúvida uma mais valia tanto a nível profissional, como a nível pessoal. E muitas outras coisas quero fazer, mas cada coisa a seu tempo.

Gostava realmente que todos aqueles que me acompanham façam uma avaliação séria do meu currículo de forma a me ajudarem a perceber se realmente tenho valor e mérito pessoal naquilo que faço. Talvez, se abram outras portas para outras oportunidades que ainda penso que possam vir a existir para mim.

Concluindo, hoje tive vontades antigas no meu pensamento. Vontade de levar a minha escrita a um estado mais profissional e quem sabe voltar a pensar em editar aquilo que ficou para trás.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Empreender - Acróstico

Esta nova forma de estar no mundo
Mostra aquilo que somos capazes de fazer.
Podemos estar sem nada nos bolsos
Receando dificuldades nas coisas mais básicas
E queremos continuar a lutar porque sabemos que
Empreender é a melhor forma de sobreviver
Nada nos impede de avançar
Dificuldades vão-nos perseguir
Empreenderemos sem cessar
Rir-nos-emos no final, pois vamos conseguir.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Relembrando a Infância - O Vitinho


Lembro-me, como se fosse hoje, da época em que os meus pais me diziam: "Vitinha, já deu o Vitinho. Podes ir para a caminha." O Vitinho teve grande influência na minha vida durante anos e anos. E ainda hoje, sinto saudades de ouvir essa frase. Lembro-me que o genérico dava logo a seguir ao telejornal e era certo e sabido que aquele era portanto o momento do "xixi, cama". Hoje temos apenas o Vitinho da Rádio na Rádio Comercial e é por isso que voltei a lembrar-me deste personagem da minha infância. Saudades! Nessa altura ainda não tinha insónias, mas lembro-me de lutar contra o sono. Ele ganhava sempre. Até ao dia em que cresci e comecei a ter as preocupações de um adulto e foi a partir daí que as insónias apareceram. Felizmente, aprendi a transformar essas noites em momentos produtivos. Manias de artista! ;)

quarta-feira, 15 de março de 2017

Reflexão - A Era digital tem mudado o mundo.

O mundo evoluiu de uma forma tão rápida que muita gente não teve tempo de acompanhar. Acontece que existem 2 grupos de pessoas. As que vivem intensamente as mudanças da Era digital e as outras que vivem completamente agarradas ao passado, agarradas ao VHS da vida. E quando falamos com elas, elas conseguem fazer com que nos sintamos sem valor, visto serem maiores em número e por acreditarem piamente que o mundo continua o mesmo.

Hoje ouvi da boca de uma pessoa próxima, que devia arranjar um trabalho normal e que mesmo que eu procure não vou encontrar porque não sei fazer nada. Que passar a ferro seria uma boa ideia... mas que nem para isso teria jeito. Como é óbvio, tive dificuldades em responder adequadamente porque fui apanhada de surpresa e a pessoa em questão não quer o meu mal certamente, mas fiquei a pensar no significado dessas palavras e cheguei a uma conclusão.

No tempo da pessoa que falou comigo, ou seja, há 70 anos atrás, como era o mundo? Era muito diferente não era? Não havia internet, não havia televisão ( se havia era a preto e branco e existia 1 ou 2 canais), não se viajava com facilidade para outros Países, para comunicar com pessoas em lugares distantes só era possível por carta ou por pombo correio.

Então, porque motivos devo eu ficar chateada, se a visão da pessoa em questão está direcionada para o passado? Não vale realmente a pena chatear-me com isso. Mas é interessante pensar nisto porque o valor de uma pessoa nada tem a ver com o canudo que ela tem. Independentemente dos estudos, da classe social, do ambiente em que vive, todos nós temos acesso à informação. E isso não nos faz, nem melhores, nem piores. Apenas vivemos a vida de forma diferente, porque a nossa visão também é diferente.

Voltando àquilo que me foi dito, a experiência que já adquiri serve para perceber que não se pode dar ouvidos a tudo aquilo que nos é dito. Mais vale reflectir primeiro e extrair apenas o lado melhor que essa mensagem nos possa proporcionar. Passar a ferro não é mais, nem menos digno para quem executa essa tarefa. Mas a minha experiência de vida passa pela comunicação com os outros, seja de forma digital, seja dando palestras ou formação, ajudando outras pessoas a melhorarem as suas vidas. Eu própria estou num processo de autoconhecimento constante. Este foi o caminho que eu escolhi! :)

Sofro por ti

Quantas noites sem dormir à tua espera...
Quero acreditar que o destino não nos trai.
Mas se um dia fores embora desta terra
lembra-te que quem não dorme também vai.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 14 de março de 2017

Nova Vida - Acróstico

Novo é o que está por vir
O que ainda não conheço chegará
Vou acreditar em dias melhores
Alvorada vibrante se levantará

Vivo cada momento com intensidade
Idealizo o futuro vivendo no presente.
Digo, pois, a verdade a toda a gente
Acredito numa vida nova, sem ansiedade.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Arquivo do blogue