Sigam o meu blogue! Tenho sempre novidades!

Traduza para o seu idioma

sábado, 5 de outubro de 2013

Bom Fim-de-Semana

Queridos leitores e amigos da Rainha, passei por aqui hoje para vos desejar um óptimo fim-de-semana! :)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

As cores do Arco-Iris

As cores do Arco-Iris
são amigas, são irmãs.
Dão as mãos suavemente
todas as belas manhãs.

Podemos encontra-las
a brincar no jardim.
Ou apenas a descansar
num cantinho por aí.

No verão vão de férias
e escondem-se no azul do céu.
No inverno dão-se a conhecer
depois de uma bela chuva
onde detém grande prazer.

As cores do Arco-Iris
estão sempre prontas para nos ajudar
a escolher o nosso caminho.
Para nos orientar.

Pois, as cores são a alegria
da nossa bela existência
e nesta sua harmonia
conhecemos a transcendência.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Uma melodiosa música no meu telhado

Não conseguia dormir
levantei-me e fui à rua.
Mas a chuva impediu-me
de ver a minha lua.

Voltei para dentro e deixei-me cair
nos meus lençóis quentinhos.
Fechei os olhos e tentei dormir.

Mas com o pingar da chuva no telhado
deixei o sono de lado.
E por momentos soergui-me
e o que ouvi soou-me a fado.

Uma melodiosa música no meu telhado.
Um pingar entoante
que estonteantemente me embalou.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Viajando nas asas do pensamento...

Viajando nas asas do pensamento
percorro a paisagem do sentimento
e faço tertúlias num bom momento
agradecendo a vida, o unguento
e o amor que sinto cá dentro.

Viajando nas asas do pensamento
abre-se um arco-iris de cores
repleto de imensos amores
e alegria a todo o momento.

Viajando nas asas do pensamento
sou a pessoa mais feliz
pois a vida sem sentimento
não é mais do que cantis
levados pelo vento
ou ardis a todo o momento.

Viajando nas asas do pensamento
termino assim este poema
ideia melhor do que cinema
que um amigo me deu
nesta noite serena.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Quero é ser feliz!

Ser feliz, é a minha prioridade.
A escrita, é a minha vontade
O amor, a minha metade.
A alegria, a minha saudade.
A felicidade não tem idade.
Por isso quero é ser feliz!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Feliz Novo Dia!



Queridos leitores e amigos da Rainha, costuma-se dizer que quando se fecha uma porta, uma janela se abre para que possamos ser felizes. Eu acredito plenamente que é assim que funciona, sei por experiência própria. Um destes dias, enquanto estava na minha hora de almoço andei a passear como de costume na feira do livro da estação do Oriente. E encantada estava com tantos livros à minha volta, nem dei pelo tempo passar. É sempre assim, quando gostamos de algo, o tempo voa. E encontrei este livro que apesar de pequeno, é simplesmente fantástico! Durante algumas semanas ia ler mais um bocadinho, até que criei dentro de mim o desejo que o comprar. E foi o que fiz. No último dia de Setembro, adquiri este exemplar que não me canso de ler. O assunto é muito simples: Aproveitar o dia, desde que ele começa. Todos os dias temos oportunidade de nos estrear, oportunidade de aprender, oportunidade de ser feliz. Eu acredito que é possível, pois a vida têm-me mostrado que assim é.

A vida continua

A vida continua
mesmo que paremos no tempo
e com ternura
agradeço o sentimento
que me empurra
em direcção ao caminho certo
apesar do pensamento incerto
que se me apresenta entretanto.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Virar a página.

Ao virar a página
entro numa outra dimensão.
Todo o interesse que eu tinha
morre desde então.

Quando menos espero
a vida volta a mudar.
E viro mais uma página
até o livro acabar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Seguir caminho

Por vezes o melhor é seguir caminho.
Esquecer o que ficou para trás.
Deixar para trás as coisas más.
E sorrir um bocadinho.

Nem tudo está perdido
nesta viagem que é a vida.
A chuva também passa
E o sol volta sempre a brilhar.
Nunca paremos então, de sonhar!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

domingo, 29 de setembro de 2013

Os donos do Mundo

Os donos do mundo
têm dinheiro e poder.
Embora nem sempre
façam por merecer.

Os donos do mundo
têm os outros na mão.
Acham que têm direito
e inovam o conceito.

Os donos do mundo
desprezam os demais.
Esquecem que um dia
foram pessoas "normais".

Mas os donos do mundo
acabam sozinhos
pois não se interessam
pelos seus vizinhos.

Os donos do mundo
são os mais frustrados,
tristes, sós e abandonados são,
por todos os desprezados.

Os donos do mundo não são ninguém.
Quando choram, ninguém vê.
Quando riem ninguém sonha.
Quando morrem, ninguém se lembra.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Arquivo do blogue