Traduza para o seu idioma

sábado, 14 de maio de 2011

Muito mais, do que apenas música!



O som. Aquele barulho estranho que ouvimos pela primeira vez quando nascemos. Aquele ruído que nós próprios emitimos e que tentamos descobrir. Ao longo da vida percebemos que nós próprios temos som. Somos o som da vida. Este tem muitos sentidos. E é pelos nossos sentidos que identificamos o som. Pode ser de alegria, de tristeza, de saudade, de indiferença ou até de amor. Mas são todos esses sons que nos fazem viver e que nos movem a uma acção. Acção essa que pode ser benéfica ou não. Mas sim! Somos movidos pelos sons. Somos movidos pelos sons da música ao longo da vida. E a música, essa bela melodia, que nos move, é ela que nos dá vida e que nos indica o que devemos fazer a seguir. Pois, a música tem poder. Toda ela nos motiva. Em casa, na escola, no trabalho, com amigos ou simplesmente sós. E nós vibramos quando ela nos toca. Seja fado, pop, rock, jazz, Kizomba, ou até música pimba, aquela música que eu não consigo gostar mas que tem o poder de me entrar por um ouvido e ir direita ao cérebro para de lá não sair. E sem querer lá estou eu a cantarolar de raiva querendo libertar-me, mas não consigo. O som é mais forte que eu. A música é mais forte que eu. Então deixo-me levar. Deixo-me levar pelos sons da vida. Deixo-me levar pelo som da música. Para mim a melhor música é aquela que me toca o coração e me move a agir. É aquela que me faz chorar e que me faz rir. É aquela que põe a minha imaginação a funcionar. É aquela que deixa o desejo de ouvir mais, no ar. E por detrás da música? Estou a falar dos intérpretes, dos cantores, dos próprios músicos. Mas a música é mais do que tudo isso. A música também é escrita. E esses autores líricos também merecem reconhecimento. Como seria a música sem eles? Como seria a música sem uma letra, sem uma frase, sem um tema? Hoje, mais do de homenagear os sons, a música ou os intérpretes, quero homenagear todos os letristas que ninguém vê mas que estão sempre lá, fornecendo palavras aos sons que compõem a própria música. A todos eles muito obrigada.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Alvorada


Ouvi o chilrear dos pássaros
Que nas árvores constroem seus ninhos
E que voam bem audazes
Procurando alimentar os pequeninos.

Levantei-me do meu leito
E fui ver nascer o dia
Mas ainda estava escuro
E toda a cidade dormia.

Vi o orvalho humedecer as plantas
E senti o frio da madrugada
E acentuou-se por instantes
O som da Alvorada.

Com cores suaves se cobria o céu
E o dia lentamente amanhecia
E o sol escondido revelou-se
Para, por fim, mostrar que já era dia.

Jovita Capitão

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Sugestão da semana – “A noite das mulheres cantoras”.




Esta semana sugiro uma leitura extremamente espectacular. “A noite das mulheres cantoras” foi uma sugestão que ouvi no programa Câmara Clara, onde foi entrevistada a escritora Lídia Jorge. Fiquei com curiosidade e quando começou a feira do livro comprei o dito livro. Posso dizer que é um romance que gira à volta da música, da fama, e das artes. É uma história envolvente que me inspirou particularmente. Lídia Jorge incide mais a sua escrita na descrição. Aproveita o mais ínfimo pormenor mesmo que para muitos seja insignificante. Torna o simples, melodioso e fascinante. Confesso que é o primeiro livro que leio desta escritora, mas estou completamente rendida ao seu estilo literário.
Sugiro este livro a todas as pessoas, mas particularmente a todas as mulheres. Pois, “A noite das mulheres cantoras” fala de coisas tão simples como a vida, a morte, a fama, a maternidade, o amor entre outras coisas.
A quem o quiser ler, boas leituras!

terça-feira, 10 de maio de 2011

Momentos zen – Massagem de Relaxamento



Normalmente onde acumulamos mais stress e tensão é nas nossas costas, principalmente na região do pescoço e ombros. Neste post vou explicar como se processa uma sequência de massagem de relaxamento passando apenas pelas costas. Como Massoterapeuta que sou, quero partilhar convosco como podem relaxar através de uma boa massagem.
1.      Alisamento Superficial. Alise as costas com as mãos, primeiro devagar e depois aumentando a intensidade aos poucos.

2.      Deslizamento palmar. Deslize as suas mãos com um movimento de baixo para cima com mais intensidade.

3.      Amassamento com as almofadas dos dedos sobre as fibras superiores do trapézio. Com os dedos massaje os ombros, procurando os pontos de maior tensão.

4.      Deslizamento digital sobre as fibras superiores do trapézio. Deslize com as mãos e os dedos nos ombros com calma.

5.      Amassamento sobre a região escapular. Massaje a zona da escápula para eliminar quaisquer aderências.

6.      Amassamento lombar. Massaje com bastante intensidade esta zona.

7.      Deslizamento palmar sobre a região lombar. Deslize as mãos com mais calma nesta região.

8.      Amassamento com os polegares sobre o sacro. Esta zona é bastante complicada. Basta um mau jeito para acumular muitos tipos de dores. Por isso concentre-se mais nos pontos de dor.

9.      Amassamento palmar alternado nos glúteos. Esta zona apesar de ser a menos afectada pelo stress também precisa ser massajada para que a sequência de massagem fique completa.

10. Amassamento profundo nos glúteos.

11. Amassamento palmar alternado sobre toda a região das costas.

12. Amassamento digital no erector da espinha. Massaje ao longo da coluna vertebral com muito cuidado. Nunca massaje em cima da coluna mas sim ao lado. Pois o objectivo da massagem é massajar os músculos e não os ossos ao contrário do que muita gente pensa. Pois, caso contrário pode provocar lesões graves na coluna.

13. Deslizamento profundo palmar no erector da espinha.

14. Alisamento palmar na região das costas. Por fim massaje toda a região das costas alisando-as com movimentos intensos, diminuindo por fim a intensidade.
Gostou da sugestão? Que tal ir a um SPA ou a um centro de Massagem e aproveitar para relaxar?

Arquivo do blogue