Sigam o meu blogue! Tenho sempre novidades!

Traduza para o seu idioma

sábado, 13 de dezembro de 2014

Coração de Andorinha

Tenho coração de andorinha!
Não suporto o inverno!
Apenas acredito na linha
que se me depara no caderno.

Do ninho, um dia, quis sair
apesar das pequenas asas,
que chegariam para me manter,
para aguentar as adversidades.

Quando chove procuro um abrigo.
Quando o sol desponta ninguém me segura.
Quando o inverno aparece já estou pronta
para voar para outro lugar, outra bruma, outro mar.

Tenho coração de andorinha
Mas a força de um Falcão
A sabedoria de uma coruja
E da águia herdei a visão.

Bebo o elixir da escrita
e mergulho na poesia
que me alimenta a alma
e que me faz sentir viva.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Suspiros de veludo

Qual lenço aveludado
é meu desejo por ti.
Supero os meus anseios
quando estás aqui.

Como se um quadro pintado
me acorrentasse ao teu coração.
Como se nossas vidas
formassem uma singela canção.

E porque não?
Posso cantar
para afugentar a infinita saudade
que já sinto por ti.
E suspirar
na esperança que me ouças
a partir daí!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

A arte de parir um poema

Como será que nasce um poema?
Esta é sem dúvida uma óptima questão.
Embora muitos pensem que é fácil
eu vou explicar por que não.

Antes de nascer
o poema tem de ser gerado
no ventre, que é a mente
de algum apaixonado.

Esse mesmo apaixonado
pela arte que é a vida
desenvolve um sentimento
e fica em ponto rebuçado
para lhe deitar a semente.

Senta-se em qualquer lado
com um papel na mão
e depois de horas sentado
rabisca o refrão.

Muitas vezes deita fora
porque não lhe parece bem.
Aquilo que lhe sai
não é o que lhe convém.

Outras vezes deixa-se ir
pela emoção do momento
e pode formar-se um novo ser
a qualquer momento.

As palavras dão forma
àquilo que o sentimento transparece.
Mas o parto, nem sempre
é aquilo que parece.

Por vezes custa a sair
aquilo que queremos transmitir.
Mas o esforço recompensa
depois do reconhecimento aparecer.

Parir um poema
é pois, uma arte.
Ou está no sangue
ou sai disparate.

Mas também é possível aprender.
Se existir vontade,
O resto, com o tempo, vai aparecer.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Porque é preciso divulgar?

Nasceu uma nova era na comunicação. Embora já saibamos há muito tempo que o termo comunicação significa a interacção de pelo menos duas partes, muitos ainda andam pelo século passado achando que a comunicação é unilateral. Se a comunicação apenas tiver uma direcção não se trata de comunicação mas sim de despejo de informação.

Por exemplo, vejo muita gente a divulgar arduamente aquilo que escrevem, os blogues que têm, as empresas das quais fazem parte, mas esquecem de uma coisa de grande importância para o mundo de hoje. Cada vez mais a interacção com as pessoas é importante. 

Imagine o seguinte: O leitor tem um amigo fantástico, mas quando fala com ele, este só acena com a cabeça e diz a tudo que sim. Não ficaria farto de falar com essa pessoa, mesmo gostando dela? entretanto, imagine um casal que nem fala um com o outro, ou um fala e o outro fica sempre calado, acha que essa relação vai resultar? Ou outro exemplo, já lhe aconteceu sentir-se alvo de publicidade que não lhe interessa? 

A esta hora já deve estar a compreender onde eu quero chegar. Nem sempre podemos estar de acordo com as outras pessoas, e lá porque temos gostos semelhantes não significa que concordemos ou que gostemos de tudo aquilo que a outra pessoa diz. Assim também, quando tentamos divulgar algo, nunca sabemos quem de facto nos observa. Por vezes, aquelas pessoas que nós achamos que são o nosso público alvo, não sustentam os nossos projectos pelo simples facto de não interagirem connosco. Isso significa falta de interesse e mostra-nos que estamos a fazer alguma coisa mal, na nossa divulgação.

Eu falo por experiência própria. Nem sempre tenho como saber se as pessoas vão gostar ou não. Mas a partir do momento em que tenho consciência que não há interesse da parte de determinada pessoa, passo à seguinte. E se ninguém se interessar, o que faço? Neste caso, ou mudo de estratégia ou mudo de conteúdo.

Mas afinal porque é preciso divulgar? É óbvio que nem tudo é para ser divulgado. Conheço pessoas que exageram nesse sentido postando as coisas mais ridículas que nem dá para explicar aqui. Mas, quando a pessoa tem um blogue, ou um negócio próprio, é natural que se preocupe em divulgar o seu trabalho. Porque sem divulgação, como poso chegar a mais leitores? Sem divulgação, como consigo mais clientes? Sem divulgação, como vou encontrar parceiros para o meu negócio?

Conclusão: A questão primordial não é se a divulgação é importante, até porque já sabemos que é, a questão principal prende-se por saber exactamente como fazer essa divulgação de forma consistente. Num próximo post abordarei esse mesmo assunto.

Livro Amigo - Natal 2014


Queridos leitores e amigos da Rainha hoje quero falar-vos sobre um projecto gerido pelo Escritor Fernando Alagoa. 

O evento: "Livro Amigo - Natal 2014", trata-se de uma iniciativa solidária para ajudar instituições com maior carência financeira. Aliados a isso, estão os livros. Porque eles também podem alimentar a alma de muita gente. Para saber mais sobre este projecto acesse os links que indico aqui em baixo.


É por causa de ti

É por causa de ti
que ainda acredito no amor.
Por tudo aquilo que eu vi
e que me transmite calor.

É por causa de ti
que continuo a escrever
as cartas de amor
que tu costumas receber.

É por causa de ti
que me sinto viva.
A confiança que trago
não é um sentimento vago.
É uma aliança
onde permanece a esperança
de te voltar a ver.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Esta noite não quero dormir!

Esta noite, não quero dormir
pois, tenho medo de não acordar
para de ti me poder despedir
e apertadamente te abraçar.

E amanhã
acordarei bem cedo.
E lá estarei
com um pouco de medo.

Mas aguentarei!
Por mim e por ti.
Pois para mim
estás sempre aqui.

No meu coração.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A pergunta da Rã

Andava a Rainha à beira do lago
quando uma pequena rã a abordou.
Bela Rainha, o que mudou
quando a sua figura se transformou?

É impressão minha,
ou a rã queria ser também Rainha?

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Sem descodificação

Penso em ti
por aquilo que és
e para onde vais.
E chego à conclusão
que és dos tais
que não têm explicação.
Nem descodificação.

Talvez seja eu
que tenha neurónios a mais
para tal observação.
Pois não encontro sinais
que me expliquem o por quê
de viveres no meu coração.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Ideias em desalinho

Hoje as ideias
estão em desalinho.
Quero escrever algo
que explique o destino
que pretendo traçar.
Mas as palavras
saem soltas
e não se querem juntar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Nas entrelinhas do céu

Senti nas entrelinhas
que devia olhar o céu.
Abri a janela de par-em-par
e lá fui eu, divagar.

Divaguei e naveguei 
por entre as estrelas.
encontrei umas vermelhas
e outras amarelas.

Elas contaram-me um segredo.

Disseram que se eu
todas as noites
olhasse para elas
Teria a sorte de me tornar
mais brilhante do que elas.

Eu duvidei!
Como poderei eu
brilhar tanto ou mais que uma estrela?

A estrela maior
visitou-me por um instante
e segredou-me ao ouvido:

Pode um elefante ter um amigo?

Eu acenei que sim.
Cada vez mais baralhada.
Porque motivo a estrela
disse tamanho disparate?
Deve estar toda queimada!

Porém, algo mágico aconteceu.
Tanto olhei para a estrela
que ela desapareceu.

E agora?
Para onde foi ela?
Pensava aflita.
Vou fechar a janela!

E fechei.
E pensei.
E meditei.
E cheguei
a uma conclusão.
O que a estrela queria
era dar-me uma lição.

Nas entrelinhas do caderno
escrevi este poema
enquanto decifrava
o bendito dilema.

O elefante é robusto
mas pode brilhar.
Pois tudo tem encanto
no seu devido lugar.

Assim como ele
também posso brilhar.
Pois, sei que na escrita
vou sempre triunfar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Um conto e Cinquenta versos - Apresentação em Lisboa

Queridos leitores e amigos da Rainha, na próxima sexta-feira, dia 12 de Dezembro de 2014, às 18,30h no Espaço Ulmeiro, Avenida do Uruguai nº13A, em Lisboa, haverá a apresentação do livro: "Um conto e cinquenta versos" de José de Ribatua. 




Não gosto de estereótipos

Não gosto de estereótipos, assim como não gosto de rótulos, nem de coisas afins. Nem sempre as coisas são como parecem ser. Irrita-me o facto de sentir que de uma maneira geral é assim que as pessoas pensam. Se é pobre tem de morrer pobre, se é rico deve ser um malandro, se é feio não vai casar, se é velho é um grande sábio, se é novo é inexperiente. Mas afinal de contas vamos lá tentar entender como estas coisas funcionam.  E se o mais velho for mais inexperiente que o mais novo? E se o mais rico for mais generoso que aquele que é mais pobre? E se aquele que é feio encontrar uma mulher feia que queira casar?

A vida tem-me mostrado que os estereótipos existem apenas na cabeça de algumas pessoas. E está mais do que provado que não são verídicos. Eu nasci pobre, é por isso que tenho de terminar a minha existência como uma pessoa que nada tem? Nem pensar! Pois, não é esse o meu desejo. Todavia, gosto de quebrar todo o tipo de preconceito e mostrar que todas as pessoas têm o direito de serem felizes. Não interessa aquilo que a pessoa faz, mas sim o que a pessoa é. Para ser feliz, basta acreditar num sonho e lutar para torna-lo realidade. Cada passo que damos em direcção a isso, mais fortes nos tornamos e maior será a nossa capacidade de superação. É por isso que eu não gosto de estereótipos, nem de preconceitos. Pois, tudo é possível para aquele que acredita que é capaz de realizar um sonho.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

A Saúde do coração



Comprei o Omega3
para a saúde do coração.
Podia ter sido no Chinês,
mas o Omega, lá não vi.

Então, procurei na farmácia.
Disseram-me que era caro.
A vizinha dona Inácia 
disse-me para procurar noutro lado.

E assim fiz.
Procurei uma loja
que me fizesse feliz.

Encontrei por fim,
uma empresa de venda directa
que, com tantos produtos bons
ficou a ser a minha predilecta.

Todos sabem que eu
por alta teimosia,
procuro sempre qualidade.
Encontrei na LR, uma empresa de verdade!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Não passes pela vida a dormir!

Silencia a tua mente
quando precisares decidir.
Pois, não ficarás contente
se passares pela vida a dormir.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Arquivo do blogue