Traduza para o seu idioma

quarta-feira, 29 de março de 2017

A Escrita - O meu sonho actual

Será possível que depois dos 30 anos ainda tenhamos dúvidas do que fazer profissionalmente? Sim, é possível. Aliás, eu não tenho dúvidas quanto a isso, a dificuldade prende-se pelo facto de eu ter feito um desvio tão grande do meu caminho que agora custa voltar novamente à linha de partida.

Existe um curso que eu quero muito fazer, porque tem tudo a ver comigo. Se não fosse a questão financeira a pesar mais na balança, já o teria feito há muito tempo. Estou a falar do curso de Ciências da Comunicação e da Cultura.

Gosto de tudo o que envolve essa área de estudo e profissão. Os meus olhos brilham quando ouço um bom locutor de rádio, quando simplesmente leio uma notícia bem estruturada, quando vejo uma boa entrevista numa revista, quando vejo um programa de Televisão que me prende ( hoje em dia são raros) e principalmente quando escrevo um texto ou poema e alguém comenta positivamente.

Ainda não desisti desse sonho. Ainda tenho tempo de o colocar em prática. Ainda acredito que tenho o direito de o fazer, mesmo que as circunstâncias actuais não ajudem. A escrita sempre andou lado a lado comigo.

Um dia destes encontrei uma forma de fazer jornalismo de uma forma mais simples por ser digital. Já me inscrevi na plataforma e pretendo fazer história nesse meio. Se realmente resultar comigo, em breve falarei dela aqui. Pode ser que mais pessoas se interessem e que desta forma possa ajudar quem tem o mesmo sonho que eu.

Rainha das Insónias

Pelas insónias, ninguém se esquece da Rainha.
E todos sabem que esta personagem é minha.
Logo, veremos como se desenrola a história
desta que ficará para sempre na vossa memória.

Jovita Capitão Rainha das Insónias.

E assim vai o mundo...

E assim vai o mundo
caríssimo senhor Presidente.
Já não há emprego
para toda a gente.

E para os poetas como eu,
resta-nos apenas o céu.
Para contemplar e poetizar
numa noite de luar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Queridos leitores e amigos da Rainha, este poema vai de encontro a um grande tema da actualidade: o desemprego que existe massivamente em Portugal. Todos sabemos que este flagelo atinge todos os tipos de profissão, mas o que motivou a escrever sobre isto foi esta notícia, na qual o Actor Ruy de Carvalho, numa conversa com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, diz que " Há muito talento à espera de trabalho".

E assim vai o mundo... Haverá alguma maneira prática de ajudar os Artistas deste nosso País? O que podemos fazer, Senhor Presidente? Bem...este tema dá pano para mangas. Há sempre alguma coisa a fazer, principalmente pelo próprio indivíduo que se encontra neste tipo de situação. Se a oportunidade não chega até mim, que tal criar as minhas próprias oportunidades? Se por um lado, existem entidades próprias para cuidar destas situações, também nós devemos ser mais proactivos enquanto nada acontece. Até porque o frigorífico não se enche sozinho, e ainda não vi dinheiro a cair do céu. Para reflectir! ;)

terça-feira, 28 de março de 2017

Chegou a hora!

Chegou a hora de escolher
entre ficar ou partir.
Chegou a hora de pensar
naquilo que me faz realmente sorrir.

Chegou a hora de retomar
os sonhos que ficaram para trás.
Chegou a hora de movimentar
tudo aquilo que me satisfaz.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Arquivo do blogue