Traduza para o seu idioma

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O que leva uma pessoa a sair de um emprego "estável"?

Hoje em dia quando falamos em estabilidade podemos verificar que ela não existe em lado nenhum. Quer seja num emprego ou fora dele, estamos sempre perante circunstâncias mutáveis. Para muitos isto ainda é tabu. 

Parece que tudo aquilo que não controlamos, tem má reputação. No entanto, até para aqueles que parecem ter uma vida estável apenas existe uma fachada e prova disso é que ao mínimo deslize aparece o desemprego, aparecem contas inesperadas para pagar, aparecem filhos sem que alguns pais os esperem, aparece a chuva e o frio que podem influenciar diversos factores, a economia muda consoante a bolsa, enfim... estamos perante um mundo de mudanças a todos os níveis e não nos podemos dar ao luxo de não aceitar isso. Mesmo que essa não seja a nossa maneira de estar na vida, sabemos que é importante estarmos preparados para as mudanças. Elas existem e existirão cada vez mais. Por esse motivo muitos decidem trocar um trabalho "estável" por uma vida mais livre e dinâmica.

Mas, quais são os factores que podem levar uma pessoa a mudar de emprego ou simplesmente abandonar o seu trabalho actual?

Os factores são imensos, mas os mais comuns são: insatisfação no emprego, salários baixos, falta de reconhecimento, maus tratos por parte de superiores, falta de autonomia, falta de tempo para a família, pressão psicológica, má gestão empresarial,... Podia ficar a tarde inteira enumerando os motivos pelos quais muitos de despedem dos seus empregos, mas fico por aqui porque sei que já entendeu a mensagem. Provavelmente já se identificou com alguma destas situações. 

Acontece que, todas as razões são válidas para se deixar um emprego. Estou farta de ouvir dizer mal de quem o faz, estou farta de dizer que perder um emprego não é o fim do mundo, estou farta de dizer que há tanto ou mais risco quando a pessoa permanece em vez de sair. Claro que existem excepções. Há pessoas que conseguem ser felizes nos seus empregos. Mas na época da história em que estamos a viver, esses são a minoria. 

Neste momento, as pessoas já sabem o que é importante e não se deixam influenciar  por terceiros. As consciências começam a abrir e a formar valores que antes viviam adormecidos. As necessidades que as pessoas têm no século XXI, são completamente diferentes das necessidades que as pessoas tinham nos outros séculos atrás. 

Estamos perante uma sociedade que sabe o que quer. Por isso a falsa noção de emprego estável já não é válida nos nossos dias. Temos de parar de agir pela cabeça dos outros. Temos de parar de querer agradar ao próximo. Temos de fazer " as pazes" com a nossa essência e lutar para sermos aquilo que queremos realmente ser. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue