Traduza para o seu idioma

terça-feira, 20 de maio de 2014

Parada, à janela

Parei à janela a ver a chuva.
Primeiro fina, depois mais grossa.
Nem me atrevi a falar.
Perdida fiquei nos meus pensamentos
e preferi começar a sonhar.
O sol invadiu a minha alma
e tivemos uma longa conversa.
Até que a chuva enfeitiçada
me trouxe à realidade.
Parada à janela, continuei a olhar para ela.
O sonho, na verdade, desapareceu.
Tirou-me a alegria
e transformou-a em saudade!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

2 comentários:

Carpe diem to me disse...

Dias como o de hoje têm o condão de nos deixar assim mais melancólicos!
Beijinhos,
Adorei o texto.

Jovita Capitão disse...

Obrigada pelo comentário e pela visita. Hoje é daqueles dias mais propícios à poesia.

Beijinhos.

Arquivo do blogue