Sigam o meu blogue! Tenho sempre novidades!

Traduza para o seu idioma

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Poesia

Quando escrevo,
onde andas tu, meu sono?
Manténs-me acordada
por horas a fio.

Fico a pensar
que durante a madrugada
te propões a vigiar.
Mas ninguém te viu.

Talvez a poesia
realmente te cative.
Talvez seja por isso
que sono, ainda não tive.

Mas sonhos, eu tenho-os!
Dentro de mim estão vivos!
Esses sonhos que comigo viajam
são meus amigos de infância.

Bem cedo acordei comigo
que um dia seria livre como tu.
Abri os braços para a poesia num gesto nu.
Comecei a escrever com constância.

E com elegância e simplicidade
fui poetizando na verdade
com todo o carinho que tenho por ti.
E com cumplicidade, amei-te, beijei-te,
e desde essa altura eu renasci!

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Sem comentários:

Arquivo do blogue