Traduza para o seu idioma

sábado, 8 de novembro de 2014

As ondas do mar

As ondas, quando estão revoltadas, levam tudo o que podem. O mar, à terra vem buscar, tudo aquilo que quer. Assim também são as ondas da vida. Uns aparecem e outros vão embora. Fiquei a saber que o nosso prezado amigo e poeta Fernando Marinho se desinteressou em fazer parte da nossa tertúlia. O porquê, só a ele diz respeito. No entanto, com emoção e alguma tristeza, o meu coração falou em forma de poema. E aquilo que pensei, assim escrevi:

Não se vá embora, Marinho!
Aqui é o seu lugar.
A poesia é sua amiga
e seu amigo é o mar.

Não se vá embora, Marinho!
Pois, tanto talento encerra!
Por favor, não abandone
esta gente, esta terra!

Não se vá embora, Marinho!
É sempre um prazer vê-lo!
Esqueça as angústias do tempo.
Deixe que a própria vida
desfaça o novelo.

Ainda vai a tempo
de voltar a este lugar!
Onde a poesia se deita
com as ondas do mar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Sem comentários:

Arquivo do blogue