Traduza para o seu idioma

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Visita ao Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo

Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje visitei o Mosteiro de Odivelas, ou seja, o Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo, mandado construir pelo próprio Rei D. Dinis, que, segundo a história, foi o sexto Rei de Portugal.

De estilo Gótico e Manuelino, o Mosteiro de Odivelas é imponente, visto de fora. É belíssima a combinação destes dois estilos! Esta dualidade estilística deveu-se ao Terramoto de 1755 que destruiu uma parte do Mosteiro. Logo após a catástrofe, o monumento, foi reconstruído.

Comecei por visitar a sala da Rainha Isabel de Aragão (Rainha Santa Isabel), depois passamos à cozinha cujos azulejos são interessantes, pois os motivos não se interligam entre si. 

Naquela época, quando um azulejo de cozinha se partia, era prontamente substituído por outro e nem se percebia que era outro que tomava o seu lugar. Os motivos escolhidos eram alusivos aos descobrimentos ou alusivos à vida no campo, o que é bastante compreensível, dado que o Rei D. Dinis é também conhecido como o Rei Lavrador (daí os azulejos com arados e carroças), além de que naquele tempo vivia-se na maravilhosa Era dos descobrimentos ( daí os azulejos com caravelas ou motivos da Realeza). 

Ainda na cozinha existe um sistema de canalização, demasiado avançado para a época. D. Dinis, como Rei inteligente que era, muniu todo o Mosteiro com uma rede de água potável e com uma rede de água menos interessante para ingerir. É ainda importante referir que era nesta cozinha que as freiras confeccionavam toda a doçaria, inclusive a famosa Marmelada Branca, de Odivelas.

Depois da cozinha passamos ao claustro. Um belo claustro de estilo Manuelino, visto que devido ao terramoto muito do que havia neste edifício desmoronou. O claustro, assim como a igreja, sofreram modificações. 

Outra coisa que me impressionou foi a quantidade de túmulos que existem debaixo dos pés de quem visita o Mosteiro. O chão de pedra, contém inúmeras inscrições sobre as freiras que ali viveram até ao fim dos seus dias, sendo sepultadas naquele lugar. Em silêncio caminhei sobre elas, sem proferir palavra. Quantas vidas por ali passaram! 

Também vi a sala de refeitório que também serve de sala de convívio para o instituto de Odivelas. Nesta sala, o tecto é magnífico! Este, é todo pintado com cenas da Bíblia. Seria, com certeza, o local onde as freiras tomavam as suas refeições.

A igreja, como já tinha referido tem dois estilos distintos. O estilo Gótico e o estilo Manuelino que foi construído depois. É neste espaço que está o túmulo do Rei e, como  muitos defendem, o túmulo da sua filha bastarda. É na igreja que termina a visita. O espaço é interessante. Grotesco, mas interessante e imponente. Diferente daquilo a que estamos acostumados.

Queridos leitores, abaixo deixo-vos algumas imagens desta visita. algumas das imagens ficaram escuras por causa da fraca luminosidade, mas mesmo assim decidi posta-las. Espero que gostem!














2 comentários:

marina maia disse...

Pois gostei de ler e ver as fotos, não conheço, gostava de visitar!
beijinho e bom fim de semana

Jovita Capitão disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário, Marina. É interessante visitarmos o passado, para melhor compreendermos o presente. :) Beijinhos e uma óptima semana!