Traduza para o seu idioma

sexta-feira, 4 de março de 2016

Cheguei aos trinta

Cheguei aos trinta. E agora? Agora, aguenta! Já não dá para voltar para trás àquele tempo em que a minha mãe me aconchegava o cobertor. Agora, aguenta! Já cresci. Sou a mesma, em ponto maior. Com mais maturidade, mas nem por isso mais adulta. Continuo com os mesmos receios de outrora, porém, enfrentando-os a cada dia. 

O que acontece ao chegares aos trinta? Já não ouves as tuas músicas predilectas, para não incomodar. Já não lês quando te apetece, porque nem tempo tens para isso. Quando tentas escrever, "alguém" interrompe com uma pergunta deste tipo: " O que vamos jantar?" Deixas o paragrafo a meio, desistes da tua ideia e avanças para a cozinha com os pés tão pesados como chumbo. Logo tu, que nunca gostaste de cozinhar. 

Olhas para o espelho e notas as pequenas rugas que tentas a todo o custo esconder com a milagrosa maquilhagem de uma marca que te interessa porque até faz parte de um negócio que abraças-te à algum tempo atrás. 

A ida ao supermercado torna-se na maior tortura de todos os tempos. Com milhares de promoções à vista, com centenas de chocolates que te aliciam. E tu só pensas na balança que tens em casa... "Nada melhor do que fazer uma salada". Pensas tu, porque a realidade é que vai ser outra vez arroz com feijão, por ser mais prático e mais consistente. 

Sobes as escadas devagar, com visível cansaço. O peso dos sacos, mais o peso da mala de mão, mais o peso do teu corpo, fazem-te pensar que precisas de ir para um ginásio ou simplesmente caminhar. E seria óptimo se realmente tivesses tempo para isso. Sabes que a realidade ainda é outra. 

Tens a esperança que o batom melhore a tua auto-estima. Tens a esperança que ainda olhem para ti como se fosses uma menina. Pura desilusão. Passas despercebida na rua, ninguém sabe quem és.

A vida a dois nem sempre é um mar de rosas. A vontade de agradar desaparece, mas a rotina anestesia-te e tudo se repete, dia após dia. Mas apesar de tudo isso, és feliz. Estás é cansada de te anular, parece até que já não te conheces.

A vida começa aos trinta! Ai pois começa. Começa tudo aquilo que nunca pensaste que fosse algum dia acontecer. Começa um novo ciclo difícil de quebrar, mas não impossível de mudar. Está na altura de olhar mais pela saúde, está na altura de reflectir sobre se estás no caminho certo. 

Começa o tempo de te questionares sobre aquilo que realmente interessa. Sabes que estás na " meia idade" como muitos dizem e dás contigo em pânico porque não sabes quanto tempo ainda te resta para fazer tudo aquilo que queres. Dás realmente conta do tempo que perdeste dos 20 aos 30 anos. Tempo esse em que não pensavas tanto no futuro, apenas o momento presente te importava. Sim, é verdade. Eras feliz. 

Volta a pensar outra vez nessa época e traz essa alegria para o momento presente. Só assim vais conseguir mudar o mundo. Não, talvez não consigas mudar o mundo. Mas podes realmente mudar alguma coisa na tua vida. 

Sei que não é fácil fazer trinta anos. Sei que não é fácil mudar depois de uma rotina. Mas sei que é possível continuar a sonhar. Nunca é tarde para decidir fazer tudo diferente, se isso nos der realmente prazer.

Sem comentários:

Arquivo do blogue